Recesso produtivo

Iniciamos, no último dia 2, com a 42ª reunião ordinária do ano, os trabalhos deliberativos da Câmara de Vereadores. O recesso parlamentar, período em que apenas as votações deixam de acontecer, foi um dos mais produtivos dos últimos anos. Foram 255 proposituras produzidas pelos 23 vereadores, entre indicações, projetos de lei, projetos de decreto legislativo e requerimentos.
Foram também 219 registros de atividades dos parlamentares produzidos através de matérias jornalísticas, entre elas, pelo menos 20 balanços de atividades, num trabalho inédito em que cada vereador analisou os destaques da sua atuação no primeiro semestre do segundo ano desta legislatura.

Quero chamar a atenção para uma destas proposituras, que são as indicações, pois para elas, diferentemente dos requerimentos, moções e projetos, não há previsão de que passem pela a aprovação do Plenário.

As indicações são a essência dos problemas da cidade. Analisando seus conteúdos, conseguimos identificar os bairros que estão com maior carência de manutenção e infraestrutura. E também são significativas provas do quanto a população requer a atuação de seu vereador.

Muitos dizem que não é obrigação do vereador intermediar soluções como a manutenção asfáltica ou a análise sobre a situação de uma árvore, chegando até mesmo a criticar quem usa deste expediente regimental para fazê-lo. No entanto, somente em 2018, mais de 2000 solicitações já foram encaminhadas ao prefeito intermediando pedidos. Cidadãos que, não encontrando caminhos para solução de seus problemas, mesmo parecendo pequenos aos olhos de quem está distante deles, buscam na Câmara a interlocução.

A Câmara de Vereadores tem várias vocações e muitas obrigações legais, entre elas fiscalizar o Executivo. Isto inclui a prestação de serviços públicos. Não resta dúvida, portanto, serem adequadas as ações parlamentares dos vereadores com este perfil. São tão importantes quanto os mandatos que focam suas atividades nas amplas discussões sobre as demandas da cidade.

O fato é que, neste recesso, a Câmara deu continuidade, e com alta produtividade, ao seu trabalho de contribuir com a administração da cidade. É assim, de forma colaborativa, que Legislativo e Executivo constroem uma cidade mais próxima aos desejos de seus moradores, com trabalho e ações.

Presidente da Câmara de Vereadores.

 

(Matheus Erler)