Rede de proteção às mulheres será ampliada

O Grupo de Trabalho da Rede de Atendimento e Proteção à Mulher Vítima de Violência fará o segundo encontro na próxima terça-feira (24), às 10h, na sala de reunião do 2º andar do Prédio Anexo da Câmara de Vereadores. O encontro será coordenado pelo CMM (Conselho Municipal da Mulher).
 
De acordo com a presidente do CMM, Laura Queiroz, o objetivo do GT é a implantação de uma Rede visando à ampliação e a melhoria no atendimento, a identificação e o encaminhamento adequado das mulheres em situação de violência, a integralidade, bem como a humanização no atendimento.
 
“A cidade tem os serviços que trabalham a proteção da mulher de forma isolada. É extremamente necessária a integração dos serviços entre esses órgãos”, destacou a presidente.
 
O GT definiu um cronograma de encontros e apresentações dos serviços da Rede de Atendimento para elaborar um plano de trabalho e publicar uma cartilha com a finalidade de informar as mulheres sobre a existência e funcionamento das instituições e entidades nas quais elas podem recorrer em caso de violência.
 
Nesta terça, a primeira apresentação ficará por conta da Semdes (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social), que fará uma explanação sobre os serviços prestados pelos CRAS (Centros de Referência de Assistência Social), CREAS (Centro de Referência de Especializado de Assistência Social) e CRAM (Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência), que trabalha para tentar superar a situação específica da vítima, com atendimento interdisciplinar (psicológico, social, jurídico, de orientação e informação). O propósito é recuperar a autoestima e inserir, se necessário, seus dependentes em programas de transferência de renda.
 
O GT é composto pelo Conselho Municipal da Mulher, Procuradoria Especial da Mulher da Câmara, Promotoria de Justiça de Piracicaba da Vara Cível, Patrulha Maria da Penha, Guarda Civil Municipal, Secretaria de Desenvolvimento Social, Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Educação, Defensoria Pública do Estado de São Paulo, Delegacia de Defesa da Mulher e dos Coletivos Marias de Luta, Promotoras Legais Populares e Mulheres Que Fazem a Diferença Fazendo.