Restaurados, vitrais são instalados na Catedral

proteção Janelas ganham proteção para evitar vandalismo. (Foto: Amanda Vieira / JP) .

Um dia após a Diocese de Piracicaba iniciar as comemorações dos seus 75 anos de criação, anteontem, a catedral de Santo Antônio começou ontem a receber os primeiros vitrais restaurados e que integram a obra de recuperação da igreja, localizada ao lado da Praça José Bonifácio. Até o final de semana, os seis vitrais localizados ao lado da rua Boa Morte devem estar repostos e os outros seis do lado oposto deverão ser retirados para restauro.

Segundo o monsenhor Ronaldo Aguarelli, responsável pela coordenação das obras, após a colocação dos vitrais, uma proteção extra será acrescentada em cada janela. “Além dos vitrais, está sendo colocada uma primeira proteção de vidro e em seguida devemos recolocar os gradis pelo lado de fora para afastar os pombos e evitar possíveis vandalismos. Além disso, vamos avaliar com especialistas se pode ser utilizado algum produto para evitar que os pombos venham e fiquem nestes locais”, disse ele. “O trabalho foi rápido e bem feito, superando as expectativas”, disse o monsenhor.

A primeira parte das obras da igreja é a readequação do salão social, na parte inferior da catedral. De acordo, com monsenhor Ronaldo, os trabalhos devem ficar prontos em até um mês. “Na parte inferior estamos com 95% das obras prontas, falta somente a colocação do elevador. Houve um atraso porque o projeto de colocação do elevador precisou ser refeito. Depois será feito o restauro do piso, limpeza geral e em seguida a compra do mobiliário que ocuparará aquele espaço que será nosso centro de acolhimento para evangelização e missão”, completou. Apesar de pouco vistas pelos fieis, as obras não param na catedral. Na semana passada foi contratada empresa que fará toda a troca da fiação e parte elétrica da igreja. “Essa ação é necessária pois as instalações elétricas são antigas e isso poderia trazer problemas. É um trabalho interno e um dos mais importantes da obra. Sem ela não podemos fazer outras etapas. É importante informar que equipamentos de combate a incêndio também estão sendo instalados na catedral”, disse.

Segundo monsenhor Ronaldo, estas obras dependem de recursos próprios e que tudo começou com seus antecessores. “Se não fosse o padre Otto e o monsenhor Jamil, que criaram um caixa, não seria possível dar início a este trabalho de ampla reforma e restauro da catedral. O fluxo de trabalho é grande e até agora estimamos um custo de quase um milhão de reais. O valor pode até assustar um pouco, mas tudo isso está sendo parcelado, com segurança e transparência”, afirmou.

CAMPANHA – Mesmo com aporte financeiro garantido, a paróquia segue com a Campanha “Abrace a Catedral” já que a igreja não teve incentivos municipal, estadual ou federal para a reforma do patrimônio histórico. Os interessados em colaborar com a obra, podem retirar carnê na secretaria da igreja para pagar 10 parcelas de R$ 30 mensais.

(Felipe Poleti)