Rio tem sol e calor; paulistas enfrentam chuva

No primeiro dia útil posterior ao ano-novo, turistas e moradores do Rio lotaram as praias. A temperatura chegou a 34 graus e o sol finalmente apareceu, depois de quase uma semana de tempo nublado.

Nas redes sociais, o prefeito Marcelo Crivella (PRB) chegou a fazer um apelo para que os turistas estendessem sua estada na cidade até sábado, dia 6, quando haverá um desfile das escolas de samba do grupo especial pela orla e um show no palco montado na Praia de Copacabana. Mas, com o sol e as altas temperaturas, nem precisava de apelo.

“Começou o ano de 2018 e quero convidar todos os cariocas para a gente continuar firme na nossa missão de fazer do Rio uma cidade maravilhosa, de encantos mil. A mais linda do Brasil”, disse o prefeito.

De acordo com estimativas da Riotur, a cidade recebeu 910 mil turistas no período do réveillon, que movimentaram R$ 2,3 bilhões. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), a ocupação hoteleira foi de 97% em média. A prefeitura estimou em 2,4 milhões o número de pessoas que celebraram a passagem do ano em Copacabana, na zona sul, ao som do show de Anitta.

No sábado, as 13 escolas de samba do grupo especial vão desfilar pela orla de Copacabana. Sete sairão do leme e seis da altura da Rua Figueiredo Magalhães. Os puxadores das diferentes agremiações se encontram no palco, na frente do Copacabana Palace, onde se apresentam com a Orquestra Petrobras Sinfônica, com 59 músicos, sob a regência de Isaac Karabtchevsky.

Guarda-chuva

Mas enquanto no Rio as pessoas se estenderam na areia e sob guarda-sóis, os paulistanos buscaram abrigo sob guarda-chuvas. Nos dois primeiros dias de 2018 a chuva não deu trégua na capital paulista. E deve continuar ao longo da semana.

A previsão para São Paulo nesta quarta-feira, 3, é de grande precipitação, com risco até de alagamentos, transbordamento de rios e deslizamentos de terra. As rajadas de vento poderão alcançar até 70 km/h, na Grande São Paulo, no litoral e no Vale do Paraíba. Nesta quinta-feira, dia 4, a chuva deve ser mais concentrada no Rio.

“Serão vários sistemas meteorológicos que vão contribuir para aumentar a chuva”, alerta a meteorologia da Climatempo Fabiana Weykamp. Segundo a empresa, ventos estão trazendo muita umidade da Região Amazônica. Além disso, uma frente fria se destaca no mar, ao largo do litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.N