Robótica como instrumento para o trabalho em equipe

Organização e planejamento estão entre os benefícios. (Foto: Amanda Vieira)

No lugar do quadro negro, blocos coloridos e maquetes. Em vez do giz, parafusos e componentes eletrônicos. O que pode parecer brincadeira é na verdade uma ferramenta educacional cada vez mais presente nas escolas: a robótica.

Especialistas na área de educação afirmam que as atividades relacionadas à robótica estimulam o trabalho em equipe, planejamento e execução de projetos; aguçam a criatividade; e desenvolvem o raciocínio lógico.

Maquetes e componentes eletrônicos integram a grade curricular do Colégio Anglo Piracicaba. “Percebemos que precisávamos contribuir para a formação dos alunos na compreensão de um mundo que apresenta questões cada vez mais focadas nos avanços tecnológicos”, afirma a professora de robótica do Anglo, Ana Cristina Monteiro Campos do Prado. A ferramenta faz parte da grade curricular dos estudantes desde 2017.

De acordo com a docente, as aulas de robótica têm estrutura e dinâmica diferentes. “O professor apresenta o tema da aula e, utilizando os conjuntos da Lego, os alunos constroem um modelo relacionado ao assunto proposto”, afirma. O próximo passo é explicar o funcionamento do protótipo demonstrando a aprendizagem dos conteúdos de ciências, engenharia e matemática.

NOVOS OLHARES

“Sou aluno programador nas aulas de robótica. Trabalhamos sempre em grupos e cada um desempenha uma função, podendo ser na montagem, programação e execução do projeto com o robô. Acredito que o trabalho em equipe e a tecnologia irão fazer toda diferença no futuro”, afirma o estudante Thiago Fróes, 13 anos.

No CLQ desde 2017 a robótica faz parte da grade extracurricular dos alunos matriculados do 1º ao 5º ano do ensino fundamental e da grade regular dos estudantes do 6º ano até o ensino médio.

Lousa, giz, mesas e cadeiras abrem espaço para kits de montagem, impressora 3D e ferramentas. “O trabalho está em fazer operar nos estudantes competências e habilidades que possam contribuir de forma direta na resolução de problemas, no planejamento, no saber trabalhar em equipe, no exercício e desenvolvimento da criatividade, do senso de responsabilidade e da autonomia”, destaca a direção do CLQ por meio da assessoria de imprensa. A instituição participará pela primeira vez da OBR (Olimpíada Brasileira de Robótica) em 2020.

A OBR é realizada anualmente desde 2007 e atua como instrumento para a melhoria dos ensinos fundamental e médio, e na identificação de jovens talentosos para carreiras técnico-científicas. Mais informações www.obr.org.br.

Ana Carolina Leal

Especial para o Jornal de Piracicaba