Rússia diz que relatório dos democratas sobre interferência é ‘infundado’

O Kremlin rejeitou um novo relatório de senadores democratas divulgado nesta quinta-feira sobre a interferência russa nos Estados Unidos e na Europa e disse que as acusações são infundadas, enquanto alguns políticos europeus afirmaram que estão atentos à interferência de Moscou.

O relatório de 200 páginas foi encomendado pelo senador democrata Ben Cardin (Maryland), do Comitê de Relações Exteriores, e é o primeiro do Congresso a detalhar os supostos esforços da Rússia para minar democracias desde a eleição presidencial americana de 2016.

Ao comentar o relatório, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que “as acusações da torpe interferência russa contra o nosso país são absolutamente infundadas”. Em teleconferência com repórteres, Peskov disse nesta quinta-feira que “essas preocupações paranoicas não só prejudicam as relações bilaterais, mas também os próprios EUA”. “Quando cresce em obsessão, isso não cria conduções confortáveis para o desenvolvimento social normal e para a vida”, comentou.

O relatório de Cardin culpa diretamente o presidente da Rússia, Vladimir Putin, por um “assalto implacável para minar a democracia e o estado de direito na Europa e nos Estados Unidos”. As agências de inteligência dos EUA concluíram que a Rússia interferiu na eleição americana com a intenção de ajudar Donald Trump a derrotar a democrata Hillary Clinton. Moscou negou repetidamente a interferência na votação e rejeitou as alegações de interferir nas eleições europeias. Fonte: Associated Press.