Saúde orienta vacina contra febre amarela para viagens

camapanha Vacina da febre amarela é recomendada desde maio. ( Foto: Amanda Vieira/JP)

A Secretaria de Estado da Saúde orienta as pessoas que forem viajar para o Litoral Norte ou Baixada Santista que tomem a vacina contra a febre amarela. O alerta da pasta visa garantir que os visitantes da região estejam protegidos contra a doença. A vacina deve ser tomada com dez dias de antecedência para garantir proteção efetiva. Portanto, aqueles que pretendem passar os feriados de novembro – Proclamação da República (15) e Dia da Consciência Negra (20) – nessas regiões, assim como em áreas rurais ou de mata, devem avaliar e atualizar sua situação vacinal ainda nesta semana.

Piracicaba passou a ser área de recomendação para vacinação de febre amarela desde maio porque foi universalizada, segundo informações da assessoria de imprensa da secretaria, a recomendação foi para todo o país, sem exceção. O setor de comunicação informou que a vacina está disponível nas unidades da atenção básica e as pessoas podem receber a dose devendo apresentar a caderneta de vacinação. Em Piracicaba, o estoque de vacinas está normal, e o que é recebido é distribuindo normalmente, segundo informou a assessoria que acrescentou que não há caso confirmado da doença no município.

A Secretaria Estadual informou que, nesta segunda-feira (5) o Instituto Adolfo Lutz confirmou um óbito por febre amarela na região do Vale do Paraíba. A vítima é um homem de 26 anos, morador de Cunha, que havia se recusado a tomar a vacina e se infectou numa área rural onde trabalhava, em Caraguatatuba. Todo o território paulista já tem recomendação da vacina, devido a circulação do vírus. No Litoral Norte, a cobertura vacinal é superior a 85% e de 55% na Baixada. Ainda assim, moradores de outras localidades do Estado precisam estar vacinados antes de se deslocarem para essas áreas. As doses são disponibilizadas nos postos de vacinação em todo o território paulista.

Devem consultar o médico sobre a necessidade da vacina os portadores de HIV, pacientes com tratamento quimioterápico concluído e transplantados. Não há indicação de imunização para grávidas, mulheres amamentando crianças com até seis meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticóides em doses elevadas. Em 2018, mais de 8 milhões de pessoas já foram vacinadas contra febre amarela. O número ultrapassa a marca da vacinação no decorrer de 2017, quando 7,4 mi de doses foram aplicadas, e é também superior à vacinação na década anterior 7 mi de pessoas foram imunizadas entre 2006 e 2016.

(Beto Silva)