Saúde retoma castrações, após reclamações de ongs

saúde CCZ cancelou agendamentos por falta de insumos. ( Foto: Amanda Vieira /JP)

O presidente da SPPA (Sociedade Piracicabana de Proteção aos Animais), Luís Américo Chittolina, ocupou a tribuna popular da Câmara de Vereadores de Piracicaba, semana passada, para pedir da Prefeitura uma resposta sobre a possibilidade do cancelamento das castrações de cães e gatos até o fim do ano, em virtude das reclamações de entidades e protetores independentes de animais que vem sofrendo “drasticamente” com os cancelamentos das cirurgias agendadas pelo canil municipal, vinculado ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). A Prefeitura informou que retomou os serviços nesta semana.

Além dos cancelamentos, Chittolina reclamou da redução na oferta de castrações destinadas às ONGs. “Somente na SPPA, há três meses tínhamos direito a 70 procedimentos, depois reduziram para 40, depois para 20 e agora a informação que temos é que somente ano que vem as castrações, voltarão a ser realizadas, além de não ter informações sobre os mutirões de castrações que aconteciam nos bairros da cidade. Se não fosse só isso, o Canil agenda a cirurgia e, um dia antes ou em cima da hora, cancelam o procedimento. É muito ruim isso”, destacou.

Por meio de nota, a prefeitura reconheceu a falha. “Houve de fato um pequeno problema no ritmo de castrações na semana passada por falta de um insumo, mas o serviço foi normalizado nesta segunda-feira, 24. Hoje são realizadas em média 30 castrações por dia”, informou a Secretaria Municipal de Saúde.

Chittolina lembrou da conquista do chamado ‘Castra-Móvel’, um veículo equipado para realizar castrações de animais, uma luta que veio do trabalho da SPPA em parceria com deputados da cidade. “Foram mais de R$ 100 mil para a compra do veículo que já está na prefeitura e outros quase R$ 120 mil de emenda parlamentar para poder dar início às atividades do equipamento”, completou.

Chittolina destacou, também, que veículo pode ser utilizado de três maneiras: somente pela Prefeitura, na qual o poder público arcaria com os custos de medicamentos e mão-de-obra; com a Prefeitura investindo nos medicamentos e deixando a área técnica para a SPPA atuar com parcerias; ou deixando o veículo com a ONG.

A Prefeitura explicou que será investido R$ 120 mil para implantar o Castra Móvel, proveniente de emenda parlamentar do deputado Ricardo Izar. “O recurso federal será usado para a compra do veículo adequado (trailler), em pregão eletrônico a ser realizado ainda neste ano. A publicação do Edital está prevista para a terceira quinzena de outubro. Numa segunda etapa, a Secretaria Municipal de Saúde fará um chamamento para a operação do programa, que poderá ser realizada por uma ONG”.

(Felipe Poleti)