Secretaria de Saúde confirma primeira morte por febre amarela

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou ontem o primeiro óbito por febre amarela em Piracicaba. Por meio de nota, a pasta informou que um paciente apresentou início de sintomas por volta do dia 22 de janeiro e, na época, “dentre os possíveis diagnósticos levantados estavam leptospirose, dengue, febre amarela e febre maculosa” tendo em vista que estas doenças têm sintomas semelhantes. O paciente morreu no dia 25.
 
Segundo a secretaria, todos os exames do paciente foram encaminhados para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. O resultado positivo teria sido enviado à Vigilância Epidemiológica Municipal anteontem (27). A partir de hoje já foram iniciadas ações pela Vigilância Epidemiológica para “identificação do possível local de infecção; busca ativa de outros possíveis casos e vacinação nas áreas de possíveis locais de infecção; e fortalecimento de ação do combate vetorial”.
 
A secretaria disse que trata-se de um caso atípico, já que Piracicaba não estava no mapa do Estado de São Paulo, onde existe a circulação do vírus da doença. “Nunca houve casos de macacos mortos na cidade, que são os sentinelas para a febre amarela”, disse, em nota, a Secretaria de Saúde.
 
De acordo com a pasta, não há motivo para pânico, tendo em vista que a Secretaria de Estado da Saúde já foi comunicada, via DRS-X — responsável pelo controle de epidemias na região — e, em breve, haverá mais orientações sobre a necessidade ou não de mudanças no protocolo de vacinação. “É importante que a população ajude, informando locais onde se note a presença de macacos mortos, pelos fones 3427-2400 (CCZ) e aos fins de semana no Canil — 3427-2121”, informou.
 
Devido à epidemia da doença, a prefeitura já vinha realizando a vacinação da população da zona rural desde 2013, com intensificação nos últimos meses. 
 
Além disso, 21 postos de vacinação foram colocados à disposição da população para os interessados tomarem a dose. Na primeira quinzena de fevereiro, o JP divulgou matéria informando que, entre os dias 1º de janeiro e 14 de fevereiro, 15.449 pessoas foram vacinadas contra a febre amarela em Piracicaba. O número foi 113,8% maior que o do mesmo período de 2017, quando 7.223 doses foram aplicadas. 
 
Na época, apesar do crescimento, a Saúde apontava queda na procura pela vacina nos postos, já que as pessoas que foram viajar para áreas endêmicas, no período de férias e Carnaval, já haviam recebido a dose.
A Secretaria de Saúde não informou nome e idade do paciente.