Secretário da Defesa dos EUA se aposentará em fevereiro, diz Trump

Secretário da Defesa dos EUA se aposentará em fevereiro, diz Trump
Fonte: Agência Brasil

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, disse que o secretário da Defesa, Jim Mattis, “se aposentará” no final de fevereiro, um anúncio que o Pentágono confirmou publicando a carta de renúncia do seu chefe.Mattis “estará se aposentando, com distinção”, depois de ter servido na administração como chefe de defesa nos últimos dois anos, disse Trump pelo Twitter

“Durante o mandato de Jim, um tremendo progresso foi feito, especialmente com relação à compra de novos equipamentos de combate”, diz presidente.

Ele acrescentou que um novo secretário de defesa “será nomeado em breve”.

Há rumores há muito tempo que a relação entre Trump e Mattis não foi boa, mas o presidente não mencionou suas disputas com Mattis ou se Mattis foi forçado a renunciar.

No entanto, em uma carta de demissão para Trump datada de quinta-feira, o secretário de defesa escreveu “Porque você tem o direito de ter um Secretário de Defesa cujas visões estão melhor alinhadas com as suas” em muitos assuntos, “Eu acredito que é o certo eu deixar o cargo e “esta é a minha minha posição”.

Na carta, o ex-general do Corpo de Fuzileiros, de 68 anos, criticou implicitamente Trump por seu tratamento aos aliados dos EUA.

“Uma crença fundamental que sempre mantive é que nossa força como nação está intrinsecamente ligada à força de nosso sistema único e abrangente de alianças e parcerias”, escreveu Mattis.

Ele acrescentou que seus pontos de vista sobre “tratar os aliados com respeito” são “fortemente mantidos e informados por mais de quatro décadas de imersão nessas questões”.

A partida de Mattis veio um dia depois que Trump ordenou a retirada das 2 mil tropas dos EUA da Síria e declarou vitória sobre o grupo militante do Estado Islâmico.

O senador Tom Cotton, um republicano do Arkansas e Jack Keane, um general aposentado do Exército que foi um dos primeiros defensores de Trump, são possíveis substitutos para Mattis, de acordo com relatos da mídia.

Mas ambos expressaram sua preocupação com a decisão de Trump de retirar as tropas dos EUA da Síria. Keane chamou o movimento de “erro estratégico” no Twitter. Cotton estava entre os seis senadores que assinaram uma carta pedindo a Trump que reconsiderasse sua decisão.

Mattis e Trump teriam ficado cara-a-cara na quinta-feira à tarde no Salão Oval, durante o qual falaram sobre diferenças políticas, incluindo suas diferenças quanto à retirada da Síria.

O jornal The Guardian disse que Mattis persuadiu Trump a concordar com a retirada gradual de tropas e a deixar uma força residual de algumas centenas. Sua renúncia indica que essas recomendações foram rejeitadas por Trump.

O senador republicano Lindsey Graham, que se opôs à decisão de Trump de trazer de volta tropas norte-americanas da Síria, disse que Mattis “acredita firmemente” que o trabalho na Síria ainda não terminou”, segundo um relatório da Fox TV.

Mas o escopo da divergência de Mattis com Trump vai muito além da missão militar dos EUA na Síria.

Por exemplo, o chefe do Pentágono é defensor da aliança dos EUA com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), enquanto o presidente atacou a OTAN por ser “obsoleto” e muitas vezes repreendeu os países membros por não contribuírem com fundos suficientes.

Os dois também discordaram em questões como a proibição de recrutas transgêneros das forças armadas, o cancelamento dos exercícios militares conjuntos entre EUA e Coreia do Sul, a retirada dos Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã e o envio de tropas para a fronteira EUA-México.

Visto por seus partidários como a única fonte remanescente de estabilidade no governo Trump, Mattis é o último de vários membros do gabinete que renunciaram ou foram forçados a parar nos últimos dois anos.

Mattis tem amplo apoio em todo o corredor político. Sua renúncia foi imediatamente lamentada por oficiais de segurança nacionais antigos e incumbentes.

“Em um momento de tal turbulência política, econômica e geoestratégica – nacional e globalmente – você está esperando que uma catástrofe aconteça antes de agir? O desastre se aproxima!” John Brennan, ex-diretor da Agência Central de Inteligência, disse sobre os republicanos em um Twitter.

“Isso é assustador. O secretário Mattis tem sido uma ilha de estabilidade em meio ao caos da administração Trump”, tuitou Mark Warner, um congressista democrata da Virginia que atua no Comitê de Inteligência do Senado.

“Como vimos com a abordagem casual do presidente à Síria, nossa defesa nacional é importante demais para ser submetida aos caprichos erráticos do presidente”, escreveu ele.

Além disso, Mattis, como ex-general do Corpo de Fuzileiros Navais, é altamente considerado entre os especialistas em defesa e é uma mente militar bem respeitada entre os legisladores.

Uma pesquisa realizada em setembro concluiu que quase 90% dos oficiais militares dos EUA tinham uma visão favorável de seu trabalho.

*Com informações da Agência pública de notícias da China (Xinhua)

Secretário da Defesa dos EUA se aposentará em fevereiro, diz Trump