Sedema estuda erradicação de leucenas nas Bacias PCJ

Espécie é considerada exótica e tem capacidade de eliminar as demais espécies ao seu redor. (foto: Amanda Vieira/JP)

A Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente) de Piracicaba promoveu na última terça-feira (13), seminário que discutiu a proliferação de árvores do tipo Leucena no município e formas de controle dessa espécie que é considerada exótica e devido à sua intensa capacidade de reprodução acaba eliminando as demais espécies ao seu redor, ocasionando “desertos verdes”.

A abertura do evento, que aconteceu no Anfiteatro da Secretaria Municipal de Educação, teve a presença do Prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, do Secretário da Sedema, José Otávio Mentem, da vereadora do município e membro do Conselho Fiscal do Consórcio PCJ, Nancy Thame, e do secretário executivo da entidade, Francisco Lahóz.

O seminário contou com as palestras do Secretário do Verde de Campinas (SP), Rogério Menezes, que abordou Plano do Verde e Manejo de exóticas invasoras na cidade, e do Professor da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) e diretor da Propark, Marcelo Leão, que fez a apresentação sobre proposta de Controle de Leucenas em Piracicaba.

Na abertura do evento, o prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, destacou o trabalho da Sedema na área ambiental e também na busca de soluções para o grave problema de invasão de leucenas na cidade. “As leucenas são um problema ambiental que precisamos buscar alternativas e esperamos que, experiências como a de Campinas nos aponte o caminho para essa solução”, disse.

Negri ainda citou como exemplo de sucesso no município a remoção das leucenas na Avenida Renato Wagner, antes um lugar abandonado que gerava insegurança entre os frequentadores e hoje é um belo parque linear.

O secretário executivo do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz, atentou que a entidade iniciará um cadastro auto declaratório entre os municípios associados como forma de criar um banco de áreas com leucenas a serem erradicadas e reflorestadas com árvores nativas.

Lahóz ainda comentou a criação de um banco de experiências exitosas na remoção de leucenas, como o caso de Campinas, para auxiliar os demais municípios das Bacias PCJ em erradicação dessa espécie exótica da nossa região. O Secretário do Verde de Campinas, Rogério Menezes, disse que o município tem interesse que sua experiência sirva de exemplo para outras localidades.

Menezes abordou em sua apresentação a necessidade de planejamento, cadastro das áreas infestadas por árvores exóticas, mas, principalmente investimentos em comunicação e sensibilização. “A primeira coisa que fizemos foi o programa de capacitação sobre espécies exóticas e o impacto delas ao meio ambiente, antes de cortar qualquer árvore”, esclareceu.

Segundo o secretário do verde de Campinas, a leucena é a “campeã das campeãs na questão da invasão e de prejuízo ambiental causado pela proliferação dessa espécie invasora”. Menezes disse que numa única área foram erradicas mais de 40 mil invasoras, com consequente plantio de espécies nativas.

O professor Marcelo Leão, apresentou uma proposta para o controle das leucenas no município de Piracicaba e comentou sobre a importância do debate sobre o assunto: “não só as leucenas e toda vegetação invasora representam os maiores problemas hoje do mundo moderno. São essas plantas que se alastram de maneira descontroladas, tanto no meio urbano como no meio rural e representam um prejuízo para todos os tipos de ecossistemas”.

Da Redação