Sem acordo: segue polêmica entre Unimep e professores

unimep Impasse entre Unimep e professores segue sem solução. (Foto: Arquivo /JP)

Apesar da tentativa de acordo para o fim da crise entre Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) e professores, a novela deve continuar por mais algum tempo. De acordo com solicitação do Ministério Público do Trabalho (MPT Campinas), feita na semana passada, ontem foi o último dia para que o IEP (Instituto Educacional Piracicabano), Sinpro (Sindicato dos Professores de Campinas) e Adunimep (Associação dos Docentes da Unimep) firmassem juntos um acordo formal e o entregasse a Justiça. Apesar dos esforços, durante a manhã desta segunda-feira (10), em reunião na sede do sindicato, não houve acordo entre as partes,o que levou aos envolvidos a entregarem minuta, cada um com sua proposta para resolução do entreve.

De acordo com Conceição Fornazari, secretária geral do Sinpro, infelizmente não há mais como dar um prazo para o fim desta situação. “O acordo que era esperado pela juíza do nosso caso não saiu. Tivemos uma reunião longa pela manhã, os advogados e representantes da mantenedora da Unimep não levaram suas propostas e nem o formato de documento para acordo a ser entregue a justiça. Além disso, percebemos que eles queriam dificultar a negociação e atrasar um acordo”, disse.

Para Conceição, infelizmente, não é possível firmar uma data para pôr fim a este entreve entre instituição de ensino e docentes. “Eles tem até a meia-noite de hoje (ontem) para entregar uma minuta a Justiça. Até uma decisão, são 20 professores sem receber salários, férias e que não podem dar aulas. Além disso, uma de nossas propostas é que quatro professores retornem as suas funções como coordenadores, mas ela não foi aceita pela Unimep, por exemplo. Com isso, há uma infinidade de possibilidades para tentar por fim ao problema. Uma delas é fazer uma mescla com as propostas enviadas por nós e pela IEP, ou usar só a do Sindicato, ou só a da Unimep, ou ainda, seguir com o trâmite normal do processo”, completou. Procurada pela reportagem, a assessoria da IEP e Unimep, não retornaram os contatos até o fechamento desta matéria.

(Felipe Poleti)