Será que é hora de mudar sua profissão?

Psicóloga explica sinais que podem apontar para necessidade de mudanças na carreira e área de atuação. (Foto: Reprodução)

Muito mais do que trabalhar por dinheiro e para conquistar bens econômicos, os trabalhadores atuais buscam empatia e propósito na profissão que exercem. A felicidade no trabalho é uma busca real e comum à grande parte dos profissionais.

Apesar de aborrecimentos e questionamentos fazerem parte de qualquer atividade, a psicóloga Marcia Ramires alerta que alguns sinais recorrentes podem indicar mais do que uma insatisfação momentânea, mas revelar que aquela empresa ou profissão não são as corretas para o trabalhador.

“Temer o domingo à noite, chegar no trabalho já contando os minutos para ir embora, ficar imensamente feliz quando chega a sexta-feira e triste no domingo, desejar que o tempo voltasse para o fim de semana, além da desmotivação que não deixa enxergar formas de melhorar a performance podem indicar que a insatisfação vai além”, explica a especialista.

Para diferenciar o que é desapontamento com o ambiente de trabalho atual e seus valores de uma total incompatibilidade com a carreira escolhida, Marcia afirma que é necessária a realização de uma autoanálise.

“Quando a pessoa identifica que não há mais propósito e motivação para realizar suas tarefas e se questiona diariamente o que está fazendo naquele emprego são indícios que confirmam que a profissão atual não faz mais sentido. Essa é a hora de buscar uma transição de carreira”, ressalta a psicóloga.

Se a análise pessoal lhe faz acreditar que o problema não é a sua escolha de profissão, mas sim descontentamento com questões do emprego atual, como o chefe ou a cultura empresarial, buscar novas oportunidades é a melhor saída.

“É necessário analisar bem para evitar decisões precipitadas e arrependimentos. Se a companhia atual for o problema, o plano é buscar novas oportunidades em organizações mais condizentes com o perfil da pessoa. Contudo, nesses casos é de suma importância desenvolver os aspectos limitantes, do contrário é bem provável encontrar as mesmas questões em outro lugar”, pondera Marcia.

Se a sua profissão não faz mais sentido, mas você ainda ama sua área de atuação, explore-a. “Essa, então, é a hora de revisitar as demais possibilidades do campo de atuação e, então, fazer uma transição dentro mesmo da área”, diz a especialista.

 

MEDO DE MUDANÇAS
O medo de mudanças é normal em qualquer pessoa, já que tendemos a nos acostumar com a comodidade e segurança. Esse medo pode aumentar se o profissional é mais velho ou se a mudança implica em troca da área de atuação.

“Pensamentos como, sou velho para esse tipo de mudança, não posso mudar de emprego porque preciso pagar as contar ou, até mesmo, vou continuar infeliz porque o importante é que estou dando orgulho aos meus pais podem trazer conformismo e estagnar os planos de revigorar a vida profissional”, orienta a psicóloga, que também aponta para os benefícios de se trabalhar com o que ama. “Mesmo ao se deparar com um chefe que não seja compatível com seus valores, a certeza de fazer a diferença e impactar positivamente a vida das pessoas vai te dar ânimo para levantar todos os dias”.

 

Mariana Requena
mariana.requena@jpjornal.com.br