Sertão como se fala é exibido no teatro do Sesc

teatro Equipe percorre 9 mil quilômetros para mostrar as nuances na fonética. (Foto: Leandro Lopes)

O Sesc exibe hoje, às 20h, no teatro, o documentário nacional “Sertão como se fala”. Lançado em 2016, o filme retrata o modo que é falado no sertão de 34 cidades percorridas por oito pessoas e faz parte do projeto Ciclo Sertão Naïfs do Brasil do Sesc, no qual há a exibição de filmes que retratam o sertão brasileiro, com suas peculiaridades e contradições. A entrada é gratuita e os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência.

O documentário “Sertão como se fala” percorre cidades do Nordeste a fim de mostrar a forma fonética diferente do alfabeto do sertão e a forma como os sertanejos difundiram este abecedário. Para isso, os realizadores Breno Conde, Camila Bahia, Eduardo de Ávila, Fernanda Brescia, Fernando Poletti, Ian Lara, Leandro Lopes, Sarah Dutra e Vinícius Rezende investigam este modo de falar. Uma das curiosidades que eles encontram,é que são são nove as letras do alfabeto convencional que têm um som diferente no sertão: Ê Fê Guê Ji Lê Mê Nê Rê Sí.

Saindo de Belo Horizonte (Minas Gerais), o projeto passou por 17 cidades, totalizando ao todo cerca de 9 mil quilômetros rodados. O documentário traz ao telespectador entrevistas com educadores, professores, alunos, estudiosos e artistas que tiveram em sua formação o jeito sertanejo de falar e buscará compreender, por meio das memórias relatadas, como o modo foneticamente diferente de se comunicar interferiu na formação pessoal de cada um.

Segundo o diretor do filme, o baiano Leandro Lopes, 35, a ideia da idealização do documentário partiu de sua curiosidade. “Eu sou baiano e moro em Belo Horizonte atualmente. Há algum tempo atrás eu tinha muito curiosidade de tentar entender como as pessoas viam as pessoas que moram no Nordeste falar. Eu mesmo fui alfabetizado com esse alfabeto sertanejo e sempre contava às pessoas o quanto era diferente. Por isso, montamos a equipe de nove pessoas e durante esses dias gravamos com pessoas das cidades do sertão que ainda usam esse tipo de alfabetização. Esse filme é crucial e traz o entendimento de um lugar muito importante para o Brasil que é o sertão. Com ele conseguimos entender como funciona esse lugar e sua importância para o país”, comentou.

SERVIÇO – Sertão como se fala no Ciclo Sertão Naïfs do Brasil. Hoje, às 20h, no Sesc Piracicaba (rua Ipiranga, 155, Centro). Classificação livre. Entrada Gratuita. Ingressos devem ser retirados com até uma hora de antecedência. Informações: 3437-9292.

(Ana Caroline Lopes)