Servidor mapeia despejo irregular de esgoto na cidade

Funcionário do Semae diz que despejos acontecem em córregos. (foto: Amanda Vieira/JP)

Apesar de liderar o Ranking da Universialização do Saneamento da ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária Ambiental), a cidade de Piracicaba conta com despejo irregular de esgoto não tratado em dezenas de pontos espalhados pela cidade. A denúncia é do servidor do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto), José Carlos Magazine. O funcionário contou que há meses faz o mapeamento de esgoto clandestino da cidade que, segundo ele, é despejado em vários córregos.

Nesta semana, a reportagem do Jornal de Piracicaba percorreu dois pontos do Córrego do Enxofre, na região dos bairros Parque Eucaliptos e Canta Galo. Em dois trechos, localizados próximos a rua Zulmira Ferreira do Valee e avenida Thales Castanho de Andrade, o despejo de efluentes é facilmente visível. Segundo Magazine, a vazão chega a 100 litros de esgoto por segundo.

O servidor disse que já denunciou ao Ministério Público tanto os despejos quanto a falta de fiscalização por parte do Semae, que terceirizou o serviço à concessionária Águas do Mirante, por meio de contrato PPP (Parceria Público Privada). Magazine disse que era um dos funcionários responsáveis pela fiscalização de esgoto até o presidente José Rubens Françoso suspender o serviço.

Questionado sobre os dois pontos, o Semae informou que já acionou a concessionária Mirante para averiguação, como é realizado com todas as solicitações relacionadas ao sistema de esgotamento sanitário. Segundo a autarquia, a fiscalização é realizada diariamente. O Semae informou que trata 100% do esgoto coletado, porém, não informou qual o percentual de coleta do esgoto produzido.

A concessionária Mirante informou que auxilia o Semae na fiscalização do sistema de esgotamento sanitário, conforme previsto no contrato. “Uma vez identificado qualquer lançamento clandestino, o responsável pela irregularidade está sujeito a multa aplicada pelo Semae”.

Em relação à vistoria do Córrego do Enxofre, a concessionária informou que nas inspeções realizadas pela equipe técnica até o presente momento, nada foi encontrado. “A concessionária reforça a importância da população, quando observa algum ponto de lançamento, entrar em contato e fornecer o maior número de informações para facilitar a procedência do problema, como pontos de referências e outros tipos de dados, uma vez que implica na atuação e solução do problema de forma mais ágil”.

A concessionária informou que o trabalho de fiscalização é executado diariamente.

Beto Silva
[email protected]