Servidores aceitam 2,32% de reposição salarial

Cerca de 250 servidores municipais de Piracicaba aceitaram ontem à noite, em assembléia, a contraproposta de reajuste salarial de 2,32% feita pelo governo Barjas Negri (PSDB). O valor repõe apenas a inflação acumulada do período. A proposta inicial do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Piracicaba era de 5% de reajuste, sendo 2,7% de aumento real. No entanto, a prefeitura recusou e ofereceu apenas a inflação, que foi aceita.O valor do reajuste será aplicado no pagamento de abril, que é referente a março. 
 
O diretor financeiro do órgão e advogado José Osmir Bertazzoni mencionou a preocupação com o aumento real conquistado nos últimos três anos, que praticamente não existiu. Foi apresentado um balanço do aumento real dos últimos 20 anos, que, em média, chegou a 49%. Se considerado somente os servidores com os menores salários, o ganho real foi de 62% no período. 
 
Servidores pediram a palavra para expor suas opiniões. Enquanto alguns eram a favor de aceitar os 2,32%, outros argumentavam que era necessário ‘forçar‘ mais, exigindo algo mais próximo dos 5%. No entanto, na hora de votar as propostas, a maioria dos presentes aceitou a oferta da prefeitura.
 
Bertazzoni – “A categoria tem que estar de braços dados com a instituição sindical para que vocês possam avançar cada vez mais. Muitos poucos municípios dão ganho real. Concedem inflação, está dentro da constituição e acabou. Porque nós não temos representantes (na política)”, afirmou a representante da federação sindical Cristina Gomes. afirmou que ainda há possibilidade de continuar negociando ganhos futuros. “O objetivo é buscar o aumento real, mas não precisamos buscar ele agora na data base. Podemos chegar em setembro, se tiver um milagre que a receita do município tenha fôlego para que o prefeito possa dar reajuste, vamos fazer uma nova assembleia. Se nós tivéssemos tirado uma proposta fora do normal, ou mantido a proposta anterior, nós estaríamos sujeitos a uma derrota do trabalhador, uma derrota política do trabalhador com a Administração. Era mais interessante aprovar o que foi dado do que continuar negociando”, argumentou Bertazzoni. 
 
 
TOM POLÍTICO — A decisão do TRT-15 (Tribunal Regional do Trabalho) da 15ª Região, em Campinas, que determinou a obrigatoriedade do desconto da contribuição sindical dos servidores, teve reflexos na assembleia. Líderes sindicais falaram sobre a importância do sindicato e das conquistas alcançadas.A marcha do Movimento Luto Pela Educação, que protestaria contra o imposto sindical, foi cancelada devido a chuva.