Setembro Amarelo: Campanha busca prevenção ao suicídio

Evento trata da importância do diálogo sobre a depressão (Foto: Freepik)

Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) informam que até 2020 a depressão se tornará a doença mais incapacitante. Hoje, mais de 300 milhões de pessoas sofrem com o transtorno no mundo, 11,5 milhões só no Brasil, que é o país com maior incidência da doença na América Latina. Último estágio da depressão, o suicídio mata 32 pessoas por dia no Brasil, mais do que doenças como a AIDS e o câncer.

Diante de dados tão alarmantes, a campanha ‘Setembro Amarela’ foi criada em 2015, uma iniciativa do CVV (Centro de Valorização da Vida), do Conselho Federal de Medicina e da Associação Brasileira de Psiquiatria com o objetivo de dedicar um mês inteiro à prevenção do suicídio e dar visibilidade a quem sofre com transtornos depressivos.

“O assunto é sério e de extrema necessidade no cotidiano. Não podemos mais entender que falar sobre isso seja sinônimo de negligenciar a seriedade que tal assunto convoca”, afirma Juliana Danelon, psicanalista, que também alerta sobre a necessidade de abandonar conceitos antigos de que a segurança está em evitar discussões sobre o suicídio, com o objetivo de não incentivá-lo. “Não podemos mais duvidar do tamanho da responsabilidade em falar de qualquer assunto que diz sobre os sofrimentos dos seres humanos, ainda mais quando falamos de suicídio”.

De acordo com a especialista, a depressão merece atenção como uma doença que, apesar de, em alguns casos, não apresentar sintomas, causa extrema angústia à vítima. “O suicídio se trata de uma dor gigantesca que o sujeito não consegue representação e que atinge níveis incalculáveis”, diz. “A falta de coragem em falar e a negação em escutar, só delatam o quanto as pessoas não sabem o que fazer com o sofrimento humano, ou seja, com a angústia que cotidianamente ronda na cena da vida”.

EM PIRACICABA

Movida pela campanha ‘Setembro Amarelo’, a Mentali – empresa especializada no prognóstico e acompanhamento da saúde emocional de trabalhadores – realiza hoje, Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, o “Luz e Sombra: Saúde Emocional em Pauta!”, evento que reúne palestrantes especializados no assunto em um debate sobre prevenção ao suicídio. O evento conta com o apoio do Jornal de Piracicaba e acontece às 18h30, no Villa Francesa Eventos. A entrada é gratuita.

De acordo com os organizadores, a conversa é importante, já que 36% da produtividade está sujeita à força psicológica dos funcionários. “O intuito é fomentar a discussão sobre a importância do cuidado com a depressão, com a saúde emocional e, principalmente, à prevenção do suicídio”, declaram.

Entre os palestrantes do dia está Juliana Danelon, psicanalista e fundadora da Mentali; Sarita Scareli, assistente social e também fundadora da Mentali; Tico Santa Cruz, vocalista da banda Detonautas, que este ano lançou a música e o clipe de ‘Ilumina o Mundo’ sobre a depressão; e Rebeca Gusmão, nadadora nas Olimpíadas de Atenas, em 2000, e que, após doping e tentativa de suicídio, lançou livro ‘Virada Olímpica’, no qual conta sua história sobre carreira, a queda e a superação.

Mariana Requena