Setembro Chegando…

Maria Helena Aguiar Corazza

Que um novo setembro trazendo a Primavera chegue com um pouco de descanso de todo mal que teima em acontecer nesses tempos de angústia pelos quais passam os seres humanos desprotegidos e desconsolados, mas, que querem se levantar e partir para novos dias, onde as árvores floridas e coloridas ao sabor do clima mais quente e mais ameno que chega com o sol, anima a crença que jamais pode morrer ou se afastar. E, com a Primavera, que as mentes se interiorizem, se fortaleçam e esqueçam tudo que for inútil e comecem a lembrar do que realmente vale a pena como a reflexão do cuidado imprescindível com o próximo e com a família, em defesa dos pais com o respeito e autoridade que merecem e, que tem que ser perpetuada constante e permanentemente!

Que este novo setembro, traga a volta e a graça da hierarquia dos valores perdidos e esquecidos para que os filhos sejam criados mais adequadamente com suas responsabilidades também, eles, que atualmente (sem generalizar é claro), não largam mais seu celular e afins, ignorando deveres e obrigações com aqueles que lhes deram a vida, cuidam, pagam suas contas como escravos que se matam no trabalho e recebem muito pouco, ou nada recebem principalmente em amor e consideração.

Que mais esse setembro acerte a postura entre pais e jovens, sobretudo aqueles que não levam nada a sério, gozadores cínicos que se corrompem não só com drogas e vícios nessa cultura de maus exemplos, mas, com o desinteresse e o sarcasmo, magoando e jogando infelicidades por todos os lados em seus lares e em suas presenças falhas e discordantes, nada fazendo em prol de seu crescimento e caráter deformado e inútil de dar dó!

Que este setembro dê novas forças aos pais cansados e desiludidos pelo mau comportamento de suas crias e pelos maus modos e ofensas que, geralmente, vão se refletir na escola e onde quer que frequentem.

Um grande médico e filósofo que cuida de jovens problemáticos lembrou que o mau aluno na escola, desrespeitoso e agressivo é aquele que, em casa também é desrespeitador, bruto e mal educado com seus pais e com a família.

Daí o jovem precisar ser criado de forma adequada, repetimos amorosa, mas firme, sem medo, justa e eficiente, sobretudo, no respeito que todos merecem, seja na família, na escola, na rua e em todos os relacionamentos ou locais ao qual frequente!

Fica, então, a crença e a torcida para que esse setembro que se inicia traga a todos mais justiça e bom senso no trato com os mais velhos e mais lucidez para educação, gentilezas, caridade, compaixão e solidariedade principalmente ao mais carente ou desorientado.

Enfim, que este lindo mês que está chegando modifique cabeças e corações para encher de alegria e esperança esta vida que precisa urgentemente ficar melhor!

(É escritora e ex-presidente da Academia Piracicabana de Letras)