Setor externo tem déficit de US$ 4,310 bilhões em janeiro, revela BC

Após o déficit de US$ 4,327 bilhões em dezembro, o resultado das transações correntes ficou negativo em US$ 4,310 bilhões em janeiro deste ano, informou nesta segunda-feira, 26, o Banco Central (BC). A instituição projetava para o mês passado déficit em conta de US$ 5,3 bilhões.

O número ficou dentro do levantamento realizado pelo Projeções Broadcast, que tinha intervalo de déficit de US$ 6,200 bilhões a US$ 3,500 bilhões, com mediana negativa de US$ 5,063 bilhões. A estimativa atual do BC, atualizada em dezembro, é de que o rombo externo de 2018 seja de US$ 18,4 bilhões.

A balança comercial registrou saldo positivo de US$ 2,398 bilhões em janeiro, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 2,763 bilhões. A conta de renda primária também ficou deficitária, em US$ 4,119 bilhões. No caso da conta financeira, o resultado ficou negativo em US$ 3,673 milhões.

12 meses

Já nos últimos 12 meses até janeiro deste ano, o saldo das transações correntes está negativo em US$ 8,987 bilhões, o que representa 0,44% do Produto Interno Bruto (PIB). Em igual período de 12 meses até janeiro de 2017, o déficit externo era equivalente a 1,31% do PIB.

Lucros e dividendos

O Brasil registrou ingresso líquido de lucros e dividendos de companhias multinacionais de US$ 222 milhões em janeiro, informou o Banco Central. Isso indica que houve mais entrada de recursos enviados por empresas brasileiras com filiais no exterior do que saída de lucros de companhias estrangeiras instaladas no Brasil. Em janeiro de 2017, o indicador havia registrado remessa de US$ 870 milhões.

A expectativa do BC é de que a remessa de lucros e dividendos deste ano totalize US$ 25,5 bilhões.

O BC informou também que as despesas com juros externos somaram US$ 4,367 bilhões em janeiro ante US$ 4,500 bilhões em igual mês do ano passado. Para este ano, o BC projeta pagamento de juros no valor de US$ 16,9 bilhões.

Viagens internacionais

A conta de viagens internacionais voltou a registrar déficit em janeiro, informou o Banco Central. No mês passado, a diferença entre o que os brasileiros gastaram lá fora e o que os estrangeiros desembolsaram no Brasil foi um saldo negativo de US$ 1,223 bilhão. Esse é o pior resultado para o mês desde 2015, quando o déficit somou US$ 1,670 bilhão. Em igual mês de 2017, o déficit nessa conta foi de US$ 918 milhões.

O desempenho da conta de viagens internacionais foi determinado por despesas de brasileiros no exterior, que somaram US$ 2,002 bilhões em janeiro. Já o gasto dos estrangeiros em passeio pelo Brasil ficou em US$ 779 milhões no mês passado.

Para 2018, o BC estima um déficit de US$ 17,3 bilhões para esta rubrica, mais que os US$ 13,192 bilhões de déficit registrados em 2017.

Dívida externa

A estimativa do Banco Central para a dívida externa brasileira em janeiro é de US$ 313,915 bilhões. Segundo a instituição, o ano de 2017 terminou com uma dívida de US$ 313,610 bilhões.

A dívida externa de longo prazo atingiu US$ 261,257 bilhões em janeiro, enquanto o estoque de curto prazo ficou em US$ 52,658 bilhões no fim do mês passado, segundo as estimativas do BC.