Sincomerciários negocia acordos coletivos para abrir lojas nos feriados

Sindicato vai negociar acordos coletivos por empresas para garantir a abertura do comércio nos feriados de novembro. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Sem avanços nas negociações com o Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista), a diretoria do Sincomerciários (Sindicato dos Empregados no Comércio de Piracicaba) anunciou ontem que vai negociar acordos coletivos por empresas para garantir a abertura do comércio nos feriados de novembro dos dias 15 (República) e 20 (Consciência Negra) e também para garantir a reposição da inflação dos últimos 12 meses e aumento real à categoria.

De acordo com o presidente do Sincomerciários, Vitor Roberto, dezenas de estabelecimentos comerciais, tanto dos corredores comerciais como do Shopping Piracicaba, já procuraram a entidade para a celebração de acordo coletivo, garantindo aumento real de 4,5% aos trabalhadores e manutenção de todos os benefícios para o trabalho nestes feriados (bonificação, folga e 100% das horas trabalhadas), por entender ser coerente a reivindicação do sindicato.

Diante da dificuldade de negociação da convenção coletiva com o setor patronal, a diretoria do Sincomerciários não descarta esta possibilidade de celebrar acordos coletivos por empresas. “Somos parceiros dos comerciantes, do desenvolvimento comercial, mas queremos assegurar um ganho aos nossos trabalhadores, o que não temos conseguido nas negociações com o Sincomércio, que quer reduzir o ganho para o trabalho em feriado, o que já foi recusado pelos trabalhadores em assembleias itinerantes que realizamos”, afirmou Vitor.

A advogada do sindicato, Vivian Previde, disse que a lei 10.101/2000 não proíbe que o trabalho em feriados seja acordado através das empresas. “Diante da celeuma, sem dúvida, é uma opção legal e legítima”, apontou.

O presidente do Sincomerciários conta que a entidade até chegou a apresentar uma nova contraproposta ao setor patronal, de reajuste salarial de 4,5%, manutenção dos atuais valores para trabalho em feriados, que seriam congelados por dois anos, com abertura nos feriados de 15 e 20 deste mês, e início da abertura do comércio para as festas de fim de ano, a partir de 8 de dezembro, com as devidas compensações, mas não foi aceita.

Na semana passada, o Sincomércio alertou para o fato de que a abertura do comércio nos feriados proíbe categoricamente as atividades comerciais nesses dias se não constar expressamente em “Convenção Coletiva de Trabalho”. “A intenção do Sindicato dos Empregados em tentar firmar acordos coletivos individuas com as empresas é ilegal e pode gerar consequências e penalizações aos que insistirem nesta prática”, informou.

Beto Silva

[email protected]