Skaf escolhe Piracicaba para encerrar campanha eleitoral

Skaf na entrevista coletiva: chances de segundo turno. ( Foto: Amanda Vieira/JP)

O candidato ao Governo do Estado de São Paulo, Paulo Skaf (MDB) e sua vice, tenente-coronel da PM (Polícia MIlitar) Carla Danielle Basson, estiveram ontem em Piracicaba. Os postulantes ao Palácio dos Bandeirantes encerraram a campanha na cidade, onde se reuniram com lideranças políticas e correligionários. Skaf comemorou os números da pesquisa que o aponta em empate técnico com João Dória (PSDB). De acordo com a quinta pesquisa de intenção de voto no Estado de São Paulo, realizada pelo Ibope Inteligência em parceria com a TV Globo e o Estadão, sob o número BR-BR-07211/2018, o ex-prefeito de São Paulo e o candidato do MDB permanecem tecnicamente empatados, conforme observado desde a primeira rodada do levantamento realizada em agosto. João Dória oscila de 22% para 24% enquanto Skaf recua de 24% na última pesquisa para 21% na atual.

A vice de Skaf disse que Piracicaba foi escolhida para fechar o ciclo da campanha por ser uma cidade que representa o interior paulista. Ela classificou a campanha liderada por um Skaf como um trabalho baseado no respeito à população e negou que a metodologia das ações da campanha tenha pesquisas como principal norteador. “ Não há como se adaptar a pesquisas porque as nossas propostas são fixas, estão no nosso plano de governo”, explicou.

Ao comentar sobre projetos para o interior paulista, em caso de eleitos, a policial militar disse que o plano de governo é macro para todo o Estado. Com relação a instalação de pedágios nas rodovias da região, Carla disse que as concessões ocorreram em outro governo e será necessária uma avaliação dos contratos no caso de um novo governo. “Será preciso reavaliar todos os contratos de concessões dos pedágios antes de falar em mudanças”, observou.

PROPAGANDA — A exemplo de Skaf, todos os candidatos nas eleições de domingo encerraram ontem a PROPAGANDA política em reuniões públicas, conforme determinação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O mesmo acontece com a PROPAGANDA eleitoral gratuita no rádio e na televisão. O dia 4 de outubro também foi o prazo-limite para realização de debates no rádio e na televisão.

(Beto Silva)