Tarifas do Semae serão reajustadas em março

O piracicabano começará a pagar mais pelos serviços de água e esgoto a partir do dia 1º de março. A edição de ontem do Diário Oficial do Município trouxe uma convocação extraordinária do Conselho de Regulação e Controle Social para analisar o pedido de reajuste feito pelo Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) e o parecer dado sobre ele pela Ares-PCJ (Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das bacias os rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí). O índice, no entanto, só será divulgado após a aprovação dos conselheiros.
 
O conselho é um órgão consultivo que tem como principal atribuição avaliar as propostas de fixação, revisão e reajuste de tarifário dos serviços de saneamento básico. Ele é composto por representantes do Semae, das PPPs (Parceiras Público-Privadas) Águas do Mirante e Piracicaba Ambiental, das secretarias municipais de Obras e Defesa do Meio Ambiente, além de usuários e integrantes de organizações não-governamentais.
 
A convocação é assinada pelo presidente do Semae, José Rubens Françoso, que também comanda o conselho. A reunião será realizada na sede da autarquia, às 17h. Se o parecer da agência for aprovado, a Ares-PCJ editará uma resolução, que entrará em vigor em março. 
 
No ano passado, as tarifas foram corrigidas em 9,98% e os chamados “preços públicos” — taxas de serviços específicos executados, como a troca de hidrômetros, por exemplo — foram majorados em 6,29%. Hoje, os consumidores residenciais que se enquadram na faixa mínima de consumo (de até 10 metros cúbicos por mês) pagam R$ 33,68. Imóveis comerciais, públicos e em construção pagam uma tarifa mínima de R$ 78,10. 
 
Além de referendar ou não, o reajuste solicitado pelo prestador de serviços, a Ares-PCJ acrescenta em seus pareceres uma série de recomendações para melhoria no atendimento aos usuários. No ano passado, a agência sugeriu que o Semae aumentasse sua autonomia de reservação de água tratada para a segurança dos sistemas; ampliasse o Programa de Combate às Perdas, capacitasse funcionários para detecção de vazamentos nas redes de distribuição e avaliasse a eficiência energética nos sistemas de tratamento de água.