Tatuador de 29 anos é assassinado com 2 tiros no Piracicamirim

falecimento Principal suspeito é o sogro, que está foragido. (Foto: Claudinho Coradini/JP).

O tatuador Wagner Feliciano, 29, foi assassinado com dois tiros em frente de sua residência, no bairro Piracicamirim, ontem à tarde. O principal suspeito do crime, segundo a polícia, é o sogro da vítima que fugiu após o crime. Testemunhas disseram que o acusado parou seu veículo em frente da casa de Feliciano e chamou-o pelo nome. Assim que a vítima saiu ao portão foi baleado. Ele chegou a ser socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e levado até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro, mas não resistiu.

O crime aconteceu por volta das 16h30. Um pedreiro que estava com a vítima disse que não houve discussão, apenas o barulho dos tiros.“Estou rebocando a casa do Wagner, que segurava o andaime que eu estava. O homem estacionou o carro em frente a residência e o chamou pelo nome. Ele disse que iria ver o que o sogro dele queria. Não teve nenhuma chance de reagir, pois o sogro já estava com a porta aberta. Deu dois tiros, o Wagner caiu, e quanto ele já estava no chão, o homem atirou mais umas três vezes, mas a arma falhou”, comentou o pedreiro.
Os familiares da vítima disseram que recentemente ele andava se desentendendo com a atual companheira, mas negaram que ele tenha feito algum tipo de agressão, pois na mesma casa moravam a mãe e as irmãs da vítima.

“Meu irmão era um cara querido e admirado aqui no bairro. Ele estava muito feliz, porque construiu sozinho uma piscina em frente de casa e dizia que seria para as filhas dele. Sempre foi muito trabalhador. Construiu a casa com o dinheiro da tatuagem”, comentou uma das irmãs de Wagner.

A atual companheira teria informado à Polícia Militar que estava sendo agredida pela vítima e teria relatado o fato a seu pai, que decidiu resolver a desavença.

“Pretendemos esclarecer essa versão na delegacia e no Fórum. Não temos nada a esconder sobre tudo isso. O fato é que meu primo queria romper com seu relacionamento, mas ela não aceitava ir embora. A mãe dela esteve hoje (ontem) de manhã na casa para levá-la embora, mas ela não quis sair da casa”, comentou uma prima da vítima.

A reportagem não conseguiu localizar a atual companheira da Wagner para comentar o ocorrido.

(Cristiani Azanha)