Taxas futuras de juros têm viés de alta com dólar

Os juros futuros operam em sintonia com o viés de alta do dólar ante o real nesta quinta-feira, 19, em manhã de leilão de títulos do Tesouro. Na quarta-feira, 18,, as taxas futuras recuaram diante do cenário local mais tranquilo e a melhora global.

No mercado de câmbio, a moeda norte-americana passa por ajuste técnico, após três quedas seguidas ante o real, ajudada pelo viés de alta do dólar em relação a algumas divisas ligadas a commodities no exterior. Mas os persistentes ganhos do petróleo e do minério de ferro nesta quinta limitam essa valorização.

Estarão no radar no cenário político o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa (PSB) e a continuidade do julgamento do pedido de habeas corpus do deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP) no Supremo Tribunal Federal (STF). A eventual aceitação do recurso pode abrir caminho para que ministros revertam decisões de forma monocrática, com impacto até na situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba.

Barbosa, por sua vez, se reunirá às 15h com integrantes da executiva nacional, governadores e líderes do PSB no Congresso Nacional. Será o primeiro evento público depois da filiação do ex-ministro do Supremo, ocorrida no dia 6 de abril.

Às 9h41 desta quinta, o contrato de Depósito Interfinanceiro para janeiro de 2019 marcava 6,230%, de 6,219% no ajuste de quarta. O DI para janeiro de 2020 estava em 6,92%, de 6,90%, enquanto o vencimento para janeiro de 2021 exibia 7,89%, de 7,86% no ajuste de anterior. Na ponta mais longa da curva, o DI para janeiro de 2023 subia a 9,05%, de 9,03%. O dólar à vista ganhava 0,28% neste mesmo horário, aos R$ 3,3902.

Mais cedo, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) apurado na prévia da sondagem de abril da FGV, teve um recuo de 0,7 ponto em relação ao resultado fechado de março, para 101,1 pontos.