Tecnologia: uma ferramenta a favor do processo educacional

Escolas se adaptam a nova realidade do mundo globalizado e incluem diferentes tecnologias no currículo escolar para impulsionar o aprendizado ao mesmo tempo em que aguçam o interesse do aluno pelo estudo (Foto: Amanda Vieira)

É impossível ignorar o impacto que a tecnologia tem no nosso dia a dia. Não por acaso, escolas têm feito dela uma aliada no processo de aprendizagem. Lousa, giz e o discurso do professor já não são mais suficientes para prender a atenção do aluno.

“Para mantermos os jovens motivados, interessados em aprender, precisamos acompanhar as novas gerações, atualizar o currículo educacional e principalmente preparar o professor para lidar com essa geração. Não podemos mais ter uma educação do século 19, professores do século 20 e alunos do século 21”, afirma a vice-diretora do Colégio PoliBrasil, em Piracicaba, Fernanda Andreello.

A escola está reestruturando o método de ensino para acompanhar a geração do século 21. “O objetivo é usar novas formas de representação da informação no formato digital, tais como o som, a imagem, o vídeo e as possibilidades de integração”, explica a vice-diretora.

A maioria das escolas usa a informática educacional para impulsionar o aprendizado e permitir uma maior interação com os alunos. No Colégio COC Piracicaba, a ferramenta possibilita a participação dos estudantes de uma maneira mais lúdica, por meio de games pedagógicos, desafios, aulas e projetos de robótica.

Para o estudante Bernardo de Lima Proença, de 12 anos, a tecnologia facilita o aprendizado. “O QR Code (código de barras) que usamos para aprofundamento da matéria, por exemplo, pode direcionar para um site ou vídeo”, explica.

Hoje, cerca de 70% dos jovens brasileiros utilizam a internet como auxiliar nos estudos, aponta pesquisa da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais. Já de acordo com a pesquisa Nossa Escola em Reconstrução, do Instituto Inspirare/Porvir, uma das formas de aprendizado que os jovens associam à escola é aprender usando tecnologia.

Segundo o diretor administrativo do COC, Edvaldo Alberto Zago, a instituição incorporou as tecnologias aos processos pedagógicos de maneira gradativa. “Alguns recursos já foram incluídos no nosso dia a dia, tais como aulas em 3D, lousas interativas, projetores de última geração, agenda digital e aulas de educação tecnológica (robótica)”.

Com a intenção de facilitar o entendimento do conteúdo e enriquecer as práticas pedagógicas, o Anglo Piracicaba – Unidades Cidade Alta e Portal do Engenho – faz das aulas de educação tecnológica uma extensão do que é aprendido em sala de aula.

Os professores auxiliam propondo tarefas alternativas para serem realizadas no laboratório de educação tecnológica. Na disciplina de matemática, por exemplo, os estudantes utilizam softwares educacionais para ver o efeito gráfico das funções e da geometria plana, uma forma de representação que contribui para a compreensão do conceito.

“Todo profissional que atua na área de ensino reconhece que o uso da tecnologia na educação é uma necessidade e precisa estar sempre atualizado com as últimas tendências na área”, destaca o professor da área de Educação.. …Tecnológica do Anglo, Paulo Spigolon. Para ter acesso a novos aplicativos e a ferramentas que melhoram o trabalho em sala de aula, os docentes fazem cursos de capacitação.

“O conhecimento sobre essas tecnologias e o reconhecimento do seu potencial como ferramenta deixam os professores menos resistentes e mais abertos para utilizá-las”, afirma Spigolon.

TECNOLOGIA DE PONTA

Pioneiros no uso da plataforma colaborativa do Google, conhecida como GSuite for Eduacation, o CLQ (Centro Educacional Luiz de Queiroz), em Piracicaba, disponibiliza para os estudantes ferramentas digitais armazenadas em nuvens.

“Com esses recursos, conseguimos trabalhar com visitas virtuais a museus, interações entre atividades escolares, desenvolvimento da produção textual e até mesmo a criação de sites, que funcionam como portfólios digitais de registros do processo de ensino/aprendizagem”, afirma a instituição por meio da assessoria de imprensa. A escola usa, além da plataforma, notebooks, lousas digitais e celulares, sempre com a supervisão de professores.

O Colégio Dom Bosco também aposta na interatividade para aproximar o aluno do seu cotidiano. Além dos recursos de multimídia, aplicativos e plataformas digitais, a escola oferece um livro digital com diversos links que remetem às informações na rede e atividades interativas que possibilitam o acompanhamento do docente em tempo real.

“Considerando o perfil do aluno atual, a tecnologia é inerente ao seu desenvolvimento na abordagem de uma formação integral. O que não descarta o uso de materiais impressos, a valorização da escrita, a produção de textos, entre as atividades pedagógicas desenvolvidas”, afirma a diretora pedagógica do colégio, Eliana Senicato.

Ana Carolina Leal

Especial para o Jornal de Piracicaba