Terminal do Vila Sônia recebe primeira exposição fotográfica

Trabalho é o primeiro do tipo no TVS e é fruto da viagem do jornalista Maurício Ribeiro à Israel. (Foto: Amanda Vieira/JP)

O Terminal do Vila Sônia recebe desde quarta-feira (5), a exposição fotográfica “Caminhos para o Sagrado” do jornalista Mauricio Ribeiro. O trabalho é fruto da viagem de Ribeiro à Israel (em especial a cidade de Jerusalém) em outubro de 2016. “Minha viagem para Israel já tinha sido tema de uma exposição no ano passado, intitulada ‘Cidade Dividida’, porém ainda tinha muitas fotos disponíveis em meu arquivo pessoal. Em conversa com representante da Via Ágil, decidimos fazer outro evento cultural e desta vez no Vila Sônia, já que é a primeira vez que o terminal recebe algo do tipo”, diz.

A principal mensagem mensagem que Ribeiro pretende passar com seu trabalho é sobre a necessidade das pessoas terem algum tipo de fé e ver como diferentes religiões podem conviver juntas. “Foi marcante encontrar lugares que lia na bíblia e nos livros de história. Outro ponto importante foi mostrar a tolerância entre cristãos, judeus e muçulmanos, já que a diversidade lá é muito grande e os a maioria deles conseguem conviver em harmonia”, explica.

Além de passar em cidades e visitar templos históricos, o jornalista viu que as notícias divulgadas sobre Israel são bem diferentes do que é a realidade. “Nos principais noticiários sempre são publicados que Israel está em conflitos, porém eles não especificam que é apenas na Faixa de Gaza. Principalmente na capital, a tolerância entre os povos é grande”, destaca Ribeiro.

Outro destaque observado pelo jornalista na cidade histórica foi a convivência entre os povos também no campo da política. “Lá também tem embates políticos, já que tem a bancada árabe e a bancada judaica. É um exemplo de democracia, já que todos os povos tem vozes. A comparação com o Brasil é difícil porque é um país milenar. Em Piracicaba a intolerância religiosa não é tão grande em outras cidades como o Rio de Janeiro, que tem muito preconceito entre católicos e evangélicos”, resume.

No futuro Ribeiro pretende reutilizar as fotos em mais uma exposição, na qual pretende chamar de ‘Cidade Vazia’, já que captou imagens dos pontos históricos sem a presença de turistas. “Jerusalém recebe visitantes 365 dias por ano e é difícil você ficar sozinho no lugar. Então esperei que os turistas passassem e quando vi aquela brecha sem ninguém aproveitei e tirei as fotos. Irei mostrar outra perspectiva, porém sei data ainda”.

(Da Redação)