Títulos nacionais e insucessos na Libertadores marcaram a era Mattos no Palmeiras

Dirigente chegou ao Verdão em 2015 e clube conquistou três títulos; insucessos na Libertadores culminaram em sua saída. (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

O Palmeiras foi derrotado pelo Flamengo no domingo (1º), pelo placar de 3 a 1, no Allianz Parque, em São Paulo, pela 36ª rodada do Brasileirão. O revés para o Rubro-Negro decretou a saída do técnico Mano Menezes após pouco menos de três meses de sua contratação, e do diretor de futebol Alexandre Mattos, um dos responsáveis pela gerência de futebol do clube e que estava no Alviverde desde 2015, ano em que a equipe encerrou uma fase irregular em sua história e voltou ao caminho dos títulos.

Logo após a partida, o presidente do Verdão, Maurício Galiotte, comunicou a saída dos profissionais, dizendo que o desligamento do diretor de futebol foi um encerramento de um ciclo na equipe alviverde. “Agradecemos ao treinador Mano Menezes em razão do período em que esteve a frente do clube, e do diretor de futebol Alexandre Mattos, que liderou um projeto vencedor com três conquistas nacionais importantes. Nos últimos anos, o Palmeiras atravessou momentos muito difíceis, em 2013 uma situação que todos conhecem (disputa da Série B) e um 2014 com muita dificuldade. Em 2015, com a inauguração da arena e a chegada de grandes investidores, chegou também o nosso diretor Alexandre Mattos, que construiu um trabalho com muita competência, um projeto vencedor”, declarou.

Após se salvar do rebaixamento para a Série B na última rodada em 2014, o Verdão passou por uma verdadeira reformulação em 2015, com um novo patrocinador master. Com dinheiro em caixa, Mattos participou das negociações dos jogadores, se destacando com várias contratações positivas, como Dudu, Mina e Felipe Melo, além de negócios que pareciam perfeitos mas que se mostraram um tiro no pé, como a chegada de Miguel Borja, criticado até hoje pelos palmeirenses, além de Ricardo Goulart e Lucas Lima.

Sob sua gerência, o Palmeiras disputou 341 jogos, obtendo 188 vitórias, 75 empates e 78 derrotas, conseguindo um aproveitamento de 62,46% dos pontos, além de conquistar dois Campeonatos Brasileiros (2016 e 2018) e a Copa do Brasil 2015. O relacionamento entre o dirigente e a torcida começou a se desgastar em razão de contratações de perfil duvidosos por parte dos torcedores, como Carlos Eduardo e Felipe Pires, além dos insucessos na Libertadores, competição que classifica o campeão para o Mundial de Clubes, competição que o clube mais almeja. O sucesso do Flamengo, principal concorrente do Verdão por títulos, no Brasileirão e na Libertadores deste ano pressionaram mais ainda Mattos, sendo alvo de protestos desde então.

A passagem de Mano Menezes no Palmeiras durou menos de três meses, resultando em apenas 20 jogos, com 11 vitórias, cinco empates e quatro derrotas (sendo três seguidas que culminaram em sua decisão), com 63,33% de aproveitamento nos pontos. O técnico chegou sob desconfiança pela torcida alviverde, já que era identificado com o rival Corinthians e saiu em baixa do Cruzeiro após deixar a equipe ameaçada de rebaixamento.

Mauro Adamoli

[email protected]