Trabalho e serviço

O trabalho, em suas múltiplas formas, tem caráter universal e é parte indissociável da natureza humana; necessidade básica da existência, todas as conquistas e realizações humanas são fruto de trabalho.

Sob um conceito amplo, toda ocupação útil é trabalho, seja físico ou intelectual, social, artístico ou espiritual. A construção de objetos, o ensino, as obras sociais e religiosas, todas são realizações em diferentes dimensões, cada uma com sua importância e valor.

A atitude de cada um diante do trabalho e o modo como o considera, de certa forma reflete seu estado de consciência. Há quem, por imaturidade consciencial, egocentrismo e irresponsabilidade, procure furtar-se ao trabalho, na ilusória tentativa de fazer o mínimo esforço, demonstrando com isso ignorar as leis que regem a vida e os mecanismos evolutivos.

A pessoa psiquicamente mais madura, espiritualmente desperta e consciente procura trabalhar da melhor forma possível, pois sabe que através do serviço, da colaboração e do esforço desenvolve suas potencialidades, se aprimora e contribui para a melhora da sociedade em que vive. Desse modo, auxilia o semelhante e a si mesma, colhendo alegria e satisfação das próprias realizações.

O trabalho realizado com prontidão e boa vontade é  expressão natural do espírito de serviço; portanto, as pessoas que trabalham com contentamento, buscando oferecer o seu melhor, além das próprias obrigações, mostram-se em sintonia com os propósitos da vida, para os quais o trabalho é ferramenta indispensável e preciosa.

Além do trabalho remunerado, necessário à subsistência, existe a doação voluntária e espontânea de tempo, atividade e conhecimentos para o bem comum, a qual, desde que isenta de interesse financeiro e de desejo de reconhecimento, constitui o serviço altruísta.

Quem verdadeiramente deseja ser útil encontra incontáveis meios e oportunidades de fazê-lo, e nenhuma circunstância externa é capaz de impedi-lo, pois esse espírito de serviço é força e expressão da própria vida. Pode-se servir, cooperar e ajudar mesmo de formas discretas e sutis, imperceptíveis aos olhos materiais. Cada um pode encontrar os modos de servir ao mundo que mais o realizem, respeitando sua individualidade, suas predileções e pendores, seguindo suas aptidões e impulsos internos.

A importância do trabalho não se limita ao que lhe é atribuído por convenções sociais e critérios econômicos, pois seu valor essencial está nos seus efeitos e nas realizações que promove. Uma tarefa simples, se realizada com pureza, espírito de doação e amor pode ter grande significado e poder transformador, ao passo que uma ação aparentemente importante e muito bem remunerada pode ser degradante e, portanto, gerar efeitos destrutivos.

Em todos os setores da sociedade há indivíduos e grupos que dignificam o trabalho pela abnegação e perseverança que demonstram no serviço e nas atividades altruístas que realizam. Independentemente de recompensa financeira e de posição social, que não buscam, recebem a aprovação da própria consciência e seguem fortalecidos e motivados pela fé e pelos ideais que os animam e orientam no cumprimento das suas tarefas. Conhecem as riquezas que o dinheiro não compra e que o ladrão não rouba, o valor do tempo empregado em ações construtivas e a alegria de servir que não tem preço.