Transferido para SP, Bolsonaro deve ficar afastado da campanha

campanha Em imagem divulgada no Twitter, Bolsonaro se recupera em hospital. (Foto:Divulgação/Internet)

O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), vai ficar afastado da campanha eleitoral, sem previsão de voltar às ruas no curto prazo. A informação é da assessoria do candidato. Em um pronunciamento nas redes sociais, o presidente nacional do PSL, Gustavo Bebianno, convocou os seguidores a rezarem por Bolsonaro. “Hoje as eleições não importam. Você que está preocupado com a saúde do nosso capitão não se deixe esmorecer”, apelou. O candidato foi esfaqueado enquanto fazia campanha em Juiz de Fora (MG) na última quinta-feira (6) e foi submetido a cirurgia. Anteontem foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Bolsonaro deverá ficar pelo menos uma semana hospitalizado, segundo os médicos da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora, onde foi atendido logo após a agressão. O candidato levou uma facada na região abdominal, quando fazia campanha na cidade. O agressor, Adélio Bispo de Oliveira, foi preso em flagrante. A Polícia Federal, responsável pela segurança do candidato, abriu inquérito para investigar o caso.

O presidente do PSL participava do ato de campanha com Bolsonaro. Bebianno contou que o candidato “foi para o meio da multidão, como sempre, por vontade própria, com o peito e o coração abertos”. Disse ainda que a campanha de Bolsonaro sabia que o candidato enfrentaria “inimigos ardilosos, incapazes de conviver com o contraditório, avesso à real democracia”.
Flávio e Eduardo Bolsonaro, filhos do candidato, deixaram a campanha e seguiram para Juiz de Fora. Eduardo gravou vídeo falando da situação do pai e escreveu nas redes sociais: “Soldado que vai à guerra e tem medo de morrer é um covarde”.

Anteontem, Bolsonaro foi transportado de avião, que pousou no aeroporto de Congonhas. De helicóptero da Polícia Militar, ele seguiu até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. De lá, o candidato foi colocado em uma ambulância com destino ao Hospital Albert Einstein, no Morumbi. Bolsonaro foi transferido para São Paulo a pedido da família.

Na tarde de quinta-feira (6), o candidato recebeu uma facada no abdômen enquanto participava de um ato de campanha na cidade mineira. Ele foi operado para estancar uma hemorragia em veia abdominal, teve o intestino delgado costurado e parte do intestino grosso retirada. Ele também foi submetido a uma colostomia e, em até dois meses, terá de ser operado novamente. (Com Agência Brasil)

(Da Redação)