Transporte e lazer estão em estado crítico no Bongue

Mato está tão alto que o parque das crianças está desaparecendo (Foto: Claudinho Coradini/JP) Mato está tão alto que o parque das crianças está desaparecendo (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Moradores do bairro Bongue, região Oeste da cidade, reclamam do longo intervalo de horário do ônibus que os atende, a falta de creches e escolas, postos de saúde, mato alto e galhos de árvores encostando na fiação elétrica, causando apagões constantes.

“É um absurdo essa situação. Tudo é longe, nos sentimos abandonados”, comenta a gerente de mercado Maria Luíza. Segundo a moradora, o bairro está crescendo, existe um condomínio e diversas casas foram recém-construídas, gerando o aumento de usuários no transporte público.

De acordo com Maria Luíza, os ônibus que passam no bairro tem poucos horários. Uma das linhas que corta o bairro é o 701-Jardim Jupiá, que nos dias úteis e de sábado passa às 23h20 e no domingo às 23h25. Outra linha é o 702-Jardim Jupiá, que atende apenas em dias uteis às 21h40, e por último a 713-Bongue, que atende todos os dias mas com o intervalo de 1 a 2 horas, além de, nos dias úteis, a linha se encerra às 18h45. “Pessoas dormem no ponto ou vão apé no escuro correndo para poder chegar em casa, comenta.

Por conta da demora do ônibus, muitos moradores optam em voltar andando do posto de saúde para dar tempo de realizar seus afazeres outros voltam com as crianças, pois o horário de saída da creche não bate com o do ônibus.

As moradoras Adriana e Eloisa Almeida (44 e 53), comentam que o ponto mais crítico é o mato, que está “extremamente alto” e galhos de diversas árvores necessitam de poda, pois os galhos batem nos fios causando falta de energia constantes. “As crianças não brincam mais no parquinho já que o mato praticamente cobriu tudo, está abandonado e tememos outros tipos de acidentes”, relata Adriana.

Em nota prefeitura informou que tem como prioridades a Saúde e a Educação. Em relação a corte do mato alto, não informou se faria a limpeza ou não. Sobre as linhas de ônibus, a Semuttran informou que foram feitos estudos para a implantação dessas linhas “citadas pelos moradores” e os horários de acesso da linha Bongue/Jupiá foram acertados “com a participação da comunidade”.

Letícia Azevedo