Transtornos mentais são tema de espetáculo de dança

A RZ Companhia de Danças Urbanas de Piracicaba apresenta hoje, às 20h, no teatro do Sesc, com entrada gratuita, o espetáculo de dança contemporânea Pêndulo, dirigido pela pedagoga piracicabana Rogéria Zago. A coreografia, que tem como tema transtornos mentais e emocionais, foi desenvolvida ano passado, no Projeto de Qualificação em Dança do Governo do Estado de São Paulo, que oferece atividades formativas no setor da dança, por meio de parcerias entre artistas.
 
 
“A mente humana é como um pêndulo de um relógio que flutua entre a razão e a emoção, arquiva as mais diversas sensações, alucinações e medos, que tendem a permanecer ocultos no desconhecido do inconsciente, mas que, por vezes, afloram de maneira fugaz. A capacidade de tolerar, solidarizar, doar, divertir, criar, intuir, sonhar são maravilhas que surgem desse complexo movimento”, é o que consta na descrição do espetáculo em mídias de divulgação.
 
 
As dançarinas da companhia RZ que sobem ao palco do teatro do Sesc nesta noite são Adriana Corrêa, Aline Vitti, Amanda Leite, Maria Júlia Mina, Tauana Silva, Victoria Corrêa e Rogéria Zago, sendo esta última a diretora do grupo de dança. Pêndulo tem orientação artística de Cristina Ávila e orientação dramatúrgica de Valquíria Vieira. 
 
 
De acordo com Rogéria, os movimentos para a composição coreográfica foram estudados durante um ano e meio, cinco horas por semana. Ela comentou, ainda, que o nome do espetáculo se trata do “vai e vem” que ocorre com as pessoas em momentos bons ou ruins, representado nos trajes dos personagens, que utilizam roupas pretas, camisas sociais brancas e coloridas. 
 
 
O trabalho, segundo a diretora, aborda de que forma os transtornos mentais refletem no desconhecido do ser humano, portanto, os distúrbios são encenados com movimentos corporais desconstruídos, sutis e agressivos, de danças urbanas, aliados à pesquisa do tema, mostrando como é o corpo de uma pessoa que sofre deles e como ela se comporta no dia a dia.
 
 
“A companhia começou a ter desconfortos passados e alguns integrantes passaram a observar, inicialmente, manias individuais e pessoais de cada um que atrapalham o andar das coisas. De manias, descobrimos o TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), após uma palestra com psicóloga. Aprendemos o que leva a ele, com a depressão vindo em seguida e, também, outros transtornos, como esquizofrenia, Síndrome de Tourette, tão presentes na vida de muitas pessoas. Não que seja interessante estar envolvido com coisas deste tipo a fim de estudá-las, mas, sim, poder entender mais essas pessoas e não julgá-las tanto, nos sensibilizando”, disse.
 
 
SERVIÇO — Espetáculo de dança contemporânea Pêndulo. Hoje, às 20h, no teatro do Sesc (rua Ipiranga, 155, Centro). Entrada gratuita. Ingressos são distribuídos uma hora antes do início da apresentação. Classificação: 12 anos. Informações: (19) 3437-9240.