UFRJ tem histórico de incêndios nos últimos anos

UFRJ tem histórico de incêndios nos últimos anos
Fonte: Agência Brasil

Na última década, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem sido palco de diversos incêndios, que destroem construções importantes para a educação e pesquisa científica no Brasil. O mais recente, o do Museu Nacional, que aconteceu na noite de ontem (2), já é o terceiro deste ano.

Em agosto, uma explosão de menor proporção no laboratório de metalurgia do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe) deixou três feridos. Em junho, o nono andar do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, conhecido como Hospital do Fundão, também pegou fogo. Ninguém se feriu.

Um incêndio de proporções ainda incalculáveis atingiu, no começo da noite deste domingo (2), o Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na zona norte da capital fluminense

Um incêndio no começo da noite deste domingo (2), consumiu o prédio do Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista – Tânia Rêgo/Agência Brasil

Em agosto do ano passado, o alojamento da universidade também foi incendiado, deixando quatro feridos. O prédio, com mais de 50 anos, nunca passou por uma reforma de infraestrutura, segundo a UFRJ. A nota oficial da Residência Estudantil da universidade explicou que não havia saída de emergência, nem alerta de incêndio no local, e que o único extintor disponível no andar não foi o bastante para evitar o acidente.

Em outubro de 2016, outro incêndio consumiu o oitavo andar da Reitoria da UFRJ, no Fundão, Ilha do Governador. O edifício abrigava os cursos de Arquitetura e Urbanismo e Belas Artes, além de setores administrativos e grande quantidade de acervo documental. Cinco andares ficaram interditados e pelo menos 11 cursos foram afetados.

Em outubro de 2014, um curto-circuito em um ar-condicionado provocou mais um incêndio na UFRJ, desta vez no Centro de Ciências da Saúde (CCS). Ninguém se feriu, mas um laboratório ficou totalmente destruído.

A Faculdade de Letras também pegou fogo em setembro de 2012. Os alunos estavam prestes a retornar às aulas depois de 3 meses de greve, quando o almoxarifado foi destruído por um incêndio. Não houve vítimas.

Em 2011, outro edifício da UFRJ incendiado foi o Palácio Universitário, que fica na Praia Vermelha, zona sul do Rio. O fogo atingiu a capela e o almoxarifado da Faculdade de Educação. O prédio é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

* Sob supervisão de Mario Toledo

UFRJ tem histórico de incêndios nos últimos anos