Uma mãe mais empoderada!

Já que esta palavra está tão em moda será preciso “empoderar” a atuação da Mãe também. E, como poderia ser isso? Não vamos considerar uma situação fácil já que o respeito e a consideração pela mãe andam colocando muitas dúvidas quanto o sucesso dessa empreitada que, diga-se de passagem, pela inversão dos valores e a falta da hierarquia na justiça, nos modos e na educação na família andam pondo em risco esse tipo de comportamento num tempo que nada mais pode ser negado e explicado aos filhos que exigem uma liberdade fora dos limites quando geralmente os pais atordoados e desnorteados, nem sabem mais que rumo tomar, uma vez que temem ser advertidos pelo tempo passado onde as leis eram mais rígidas e cumpridas, ou serem tachados de “fora de moda”, “já era” ou “por fora” como eles acham melhor.

No mundo atual, são os filhos que ditam as leis, os horários, os modos de vestir, as músicas com letras que chegam a doer tal a pobreza das danças e da linguagem… Contudo, é onde a Mãe precisa sim, se impor, se situar na sua sublime missão de geradora de vidas (“rainha do lar” nem lembrar mais, tal o deboche a que seriam submetidas…), se empoderar e, se posicionar melhor acatando os direitos dos filhos, mas, exigindo seus deveres, para agir em beneficio de alertar aos bons costumes, da decência e da dignidade que vazaram pelo ralo, e resgatar a autoridade que lhe é atribuída e peculiar, se impondo com bastante coragem e paciência, sem medo, mas, com firmeza mostrando com suprema calma e doçura a relevância do Amor que vale a pena ser aplicado e vivido e que anda defasado e destruído na correria do dia a dia da mãe de família, com seus inúmeros compromissos e afazeres fora de casa acabando mirrado ou sufocado, quando não, até em segundo plano!

Se os filhos estão mais difíceis de lidar, as Mães me perdoem, mas, nos meus mais de oitenta anos precisam sim, não arredar pé e, mais do que nunca segurar as rédeas com mais força ainda e fé inabalável porque, no conceder tudo, tudo podendo fazer e, não ensinando o valor do que é preciso, suas leis e o seu comprometimento, jamais dará a ele o socorro que os jovens andam pedindo disfarçadamente que seja demonstrado no alto volume de vícios, crimes e suicídios que aumentam todos os dias!

Na reflexão dessa data então, olhos fixos na realidade dos perigos que o mundo anda oferecendo e tem demonstrado e, mais abertas na contribuição necessária que as Mães com seu Amor infinito e sem medidas podem, precisam e devem dar e, para que isso aconteça então, melhor avaliar as inúmeras ausências, omissões involuntárias e irresponsabilidades impostas pela modernidade atual, dando uma “folga” para uma atuação mais profunda e cautelosa mais atenção, presenças e diálogos explicativos nas dúvidas terríveis que aniquilam não só os mais jovens, mas, a família toda em geral!

Assim, nessa sua conduta mais branda e comedida, com certeza a Mãe tão bendita e abençoada por Deus e com a proteção de Sua Mãe digníssima Maria Santíssima irá ser cada dia mais empoderada não só para cumprir sua missão divina aqui na Terra, mas, para conceber melhores seres humanos à semelhança de Deus!

Feliz Dia das Mães!