Vacina x morte

Há estudos em todas as partes do mundo que atestam a eficiência das vacinas, que são seguras e salvam vidas

Há um falso sentimento na sociedade de que doenças como sarampo, caxumba, rubéola, entre outras, foram erradicadas no mundo. E, por isso, muitos pais têm deixado de levar seus filhos para vacinar. São estimulados até mesmo por campanhas nas redes sociais a não levar seus filhos aos postos de saúde, dizendo que as vacinas não seriam eficazes. Tudo isso é uma falácia. Essas doenças estão voltando com tudo, por causa do processo migratório entre países, em especial de venezuelanos que fugiram da carestia no seus país para tentar levar uma vida melhor no Brasil.

Amanhã será realizado o terceiro Dia D de vacinação contra Poliomielete (paralisia infantil) e contra sarampo. Devem ser vacinadas crianças de um a menos de cinco anos, desta vez na área urbana. Até mesmo o número de postos de vacinação subiu de 16 para 44 postos de vacinação, das 8h às 17h. Tudo para estimular os pais a comparecerem com a carteirinha dos filhos.

Antes, o Ministério da Saúde realizava apenas um Dia D, mas diante da baixa cobertura vacinal, houve esse reforço. Os pais, que, durante a semana, têm dificuldades de levar seus filhos nas unidades de saúde, por conta da correria do dia a dia, terão oportunidade de aproveitar a folga de amanhã para colocar a vacinação dos filhos em dia.

Vale ressaltar que sarampo e paralisia infantil são duas doenças gravíssimas, que podem, sim, levar à morte. Mesmo que a paralisia infantil estava erradicada no Brasil, os pais não podem mais correr riscos. Por isso, devem levar seus filhos para vacinar. Aliás, o secretário de Saúde, Pedro Mello, demonstrou preocupação com a baixa adesão da população.

Até agora, foi vacinado apenas 20% do público-alvo. A meta é imunizar 95% das crianças. Segundo a pasta, foram aplicadas 3.788 vacinas contra poliomielite e de 3.693 contra o sarampo até o dia 11 de agosto.

As crianças e os pais do século 21 vivem na era digital. Mas os responsáveis têm que tomar muito cuidado com as Fake News. Não acreditem em notícias que dizem que as vacinas matam. Também chequem as fontes e ai vão perceber que a procedência é duvidosa. Quem ama seu filho de verdade o leva para vacinar.

Antes do desenvolvimento das vacinas, muitas crianças morriam. Depois da descoberta, o número caiu drasticamente. Há estudos em todas as partes do mundo que atestam isso, a eficiência das vacinas, que são seguras e salvam vidas.

(Claudete Campos)