Vacinação contra a febre amarela dobra em 45 dias

De 1º de janeiro a 14 de fevereiro deste ano, 15.449 pessoas foram vacinadas contra a febre amarela em Piracicaba. O número, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, é 113,8% maior que o do mesmo período de 2017, quando 7.223 doses foram aplicadas. Apesar do crescimento, a pasta já aponta queda na procura pela vacina nos postos, uma vez que as pessoas que foram viajar para áreas endêmicas, no período de férias e carnaval, já receberam as doses.
 
Em nota, a Saúde informou que não há casos confirmados nem suspeitas da doença na cidade e que “há doses suficientes da vacina para atender a demanda da população”. Além disso, a pasta orientou as pessoas que ainda necessitam da vacina para procurarem uma unidade de saúde no mínimo 10 dias antes da viagem para receber a vacina. “Devem levar um comprovante de endereço, a carteirinha de vacinação (principalmente se for criança) e documentos pessoais. Quem tiver o cartão SUS e o cartão do posto devem levar também”. 
 
De acordo com a Saúde, no início do ano, devido a grande procura pelo Certificado Internacional de Vacinação emitido somente na Unidade Básica de Saúde da Vila Independência (rua Pedro Chiarini, 144), de segunda a sexta-feira, das 13h às 15h, a prefeitura passou a exigir o comprovante de viagem para entrega da certidão. “Depois da exigência do comprovante de viagem, a demanda voltou à normalidade”, informou a pasta.
 
 
A DOENÇA – É importante lembrar que a febre amarela não é contagiosa e que sua infecção ocorre somente através da picada do mosquito infectado, ou seja, a doença não é transmitida de pessoa para pessoa, nem de macacos para pessoas. Em nota orientativa publicada recentemente em seu site, a Secretaria de Estado da Saúde, enfatizou, também, que os macacos não são responsáveis pela transmissão. “Esses animais são sentinelas e ajudam o poder público a definir as ações de prevenção, já que as epizootias (morte ou adoecimento de macacos) ajudam a identificar a presença do vírus em determinada região”.
 
 
PREVENÇÃO – A principal forma de prevenção é por meio da vacinação. Se a pessoa não for vacinada, é recomendável utilizar repelente e evitar o deslocamento ou permanência em áreas onde o vírus circula. “A vacinação ocorre no estado de São Paulo até o dia 17 de fevereiro em 53 municípios e mais 20 distritos da capital”, informou a pasta estadual. Piracicaba não está na lista de cidades ou área endêmica. Para saber quais as cidades que se recomenda a vacinação basta acessar o site http://bit.ly/2nZr4SY.