Vacinação na escola

Diante da baixa cobertura vacinal contra sarampo e poliomielite (50%, quando a meta é de 95%), é necessário que o poder público adote medidas criativas e saia da zona de conforto para garantir que crianças de 1 ano até 5 anos incompletos recebam a dose da vacina. Principalmente neste momento em que ocorrem surtos de sarampo no Brasil e em vários países do mundo. E esta iniciativa começou a ser traçada ontem pelo Departamento de Vigilância Epidemiológica e pela Atenção Básica. No caso de Piracicaba, a meta é atingir um público alvo de 18 mil crianças.

De 24 a 31 de outubro, as crianças matriculadas nas escolas municipais de Piracicaba serão vacinadas nas próprias escolas. Aliás, aplicar vacina em escola era muito comum no passado, mas, essa prática se perdeu com o tempo e os poderes executivos optaram pelo deslocamento até os postos de saúde. Desta forma, será mais fácil ser atingida a meta, o que é de suma importância para que as doenças não avancem entre essa fatia da população, que é mais sucestível.

Já destacamos neste mesmo espaço que a vacinação é essencial. Pais, acreditem, o assunto é muito sério. Ao contrário do que muitos pensam, o sarampo é uma doença que está voltando com tudo. Por isso, vacinem seus filhos.

(Claudete Campos)