Vale tudo em ano eleitoral

Vocês já perceberam, caros leitores, que em ano eleitoral é a mesma coisa. Obras são aceleradas para ser inauguradas para os políticos ficarem bem na fita…E nas fotos. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) não escapa dessa manjada estratégica política. A poucos dias de se descompatibilizar do cargo, para concorrer à presidência da República, o tucano vai acelerar as inaugurações para ganhar visibilidade.

Tanto é verdade que vem para a região entregar as obras do tão esperado Hospital Regional Zilda Arns e as obras de duplicação da rodovia Geraldo de Barros (SP-304), de ligação entre Águas de São Pedro e Anhumas, hoje. Podem ter certeza que vai participar de uma maratona de inaugurações nos próximos 15 dias. Os marqueteiros de plantão vão tentar capitalizar ao máximo as aparições do tucano. Claro que a intenção é que o governador fique debaixo dos holofotes para inflar seus votos. E hoje vai estar em casa, na terra do também tucano Barjas Negri.

Apesar de sair vitorioso nas urnas nas eleições para governador, Alckmin, até agora, não decolou sua candidatura presidencial. Vai ter que gastar muita sola de sapato para conquistar a preferência do eleitorado. Na última pesquisa DataFolha, sobre a corrida presidencial, em janeiro deste ano, apareceu em terceiro lugar, com 7% da preferência do eleitorado, atrás de Jair Bolsonaro (PSC), com 16%, e do ex-presidente Luiz Ignácio Lula da Silva (PT), com 37%. É claro que muita água vai correr debaixo da ponte ainda…

Alckmin não foge à regra. Todos os políticos, alinhados à direita ou à esquerda, se aproveitam das solenidades oficiais – fora do período eleitoral – para inaugurar obras e, assim, ganhar visibilidade, de olho nos resultados das urnas. São atos imorais, mas são usuais, destacou a socióloga Conceição Fornasari.

Reportagem de Felipe Poleti, publicada na edição de hoje, elencou uma série de obras anunciadas pelo governador na região, recentemente. Ganhou destaque na mídia. Mas não se iludam, caros eleitores. Em breve os candidatos devem invadir a região à procura do precioso voto dos eleitores. Nesse quesito, Alckmin não foge à regra. (Claudete Campos)