Vazamento de água em Piracicaba ocorre há 18 dias

Moradores se queixam de descaso do Semae

Enquanto moradores de vários bairros de Piracicaba reclamaram ontem de falta d’água devido às obras de instalações e interligação das novas instalações na ETA (Estação de Tratamento de Água) do Capim Fino, no bairro Pacaembu a queixa ao Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) de Piracicaba era com relação a um vazamento de água que, segundo eles, dura há 18 dias.

O mecânico César Augusto Ferreira disse que sua oficina é próximo ao local de vazamento e que já foram feitos contatos com o Semae por telefone e pela internet, mas até o momento nada foi feito. “Há três semanas está desse jeito. Há cinco dias ligaram aqui e falaram com a moça do escritório e disseram que iriam tomar providências, mas até agora nada”, contou.

O vazamento de água tratada se tornou uma cascata que desce por um trecho da avenida. Ferreira disse que, assim como ele, outro vizinho acionou a autarquia, mas sem sucesso. Na vizinhança, vizinhos se mostraram revoltados com o desperdício de água há quase 20 dias. “Tanta água escorrendo pelo asfalto enquanto vários bairros sofrem sem”, lamentou a dona de casa Maria de Lourdes de Oliveira. O pedreiro Gilberto Ramos disse que enquanto a água desce o asfalto, a população é obrigada a ficar sem o produto e pagar contas absurdas. “Tem um monte de gente reclamando de valor alto da conta e a gente vê um desperdício desse 24 horas por dia, nem tenho ideia de quanto já se perdeu de água nessas três semanas”, reclamou.

Procurada, a assessoria de imprensa do Semae informou que a manutenção deverá ocorrer hoje (26).

Beto Silva