Vereador de Piracicaba denuncia falta de equipamentos de proteção no Semae

Funcionário da autarquia trabalhava em rompimento de adutora sem usar equipamentos de segurança (Divulgação)

O vereador Laércio Trevisan Jr. (PR) denunciou ontem, em suas redes sociais, um funcionário do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) de Piracicaba em uma situação de risco sem usar EPI (Equipamentos de Proteção Individual). No vídeo, o servidor trabalha no rompimento de uma adutora na esquina das ruas Dona Eugênia com Viegas Muniz, no bairro São Dimas. Nas imagens, o homem aparece com o corpo quase que totalmente submerso dentro de um buraco cheio de água. Na tentativa de localizar o ponto exato do rompimento da tubulação, o funcionário usa as mãos, ajoelhado dentro da erosão.

Trevisan reclama de o Semae não ter uma bomba para fazer o esgotamento da água de locais como este e assim facilitar o trabalho. “Isso é planejamento de um departamento que tem R$ 230 milhões de orçamento e não tem uma bomba sapo para retirar a água do buraco?”, questionou. O Semae foi questionado – via assessoria de imprensa – sobre o uso de EPIs pelos funcionários e também sobre o rompimento da tubulação mas até o fechamento desta matéria não havia retornado as informações.

AUDIÊNCIA PÚBLICA

A Câmara de Vereadores realiza amanhã (20), a partir das 19h, no Plenário Francisco Antônio Coelho, audiência pública sobre a falta d’água em diversos bairros. Devem participar – após convocação – o presidente da autarquia, José Rubens Françoso, e técnicos do serviço municipal.

A audiência foi solicitada por um movimento social encabeçado pela deputada estadual Maria Izabel de Azevedo Noronha, a Professora Bebel (PT).

A assessoria de imprensa do Legislativo informou ontem que a galeria do plenário, que conta com 66 cadeiras e dois locais reservados para cadeirantes, será ocupada de acordo com a chegada.

A recepção à população se inicia às 19h, no entanto, os trabalhos da audiência começam às 19h30, com duas horas de duração, podendo ser prorrogada por mais meia hora. O vereador solicitante poderá ter até 15 minutos para suas considerações iniciais, assim como os convocados para explicações técnicas.

Os vereadores terão cinco minutos cada para fazer suas considerações e os convidados disporão de três minutos. Já a população contará com dois minutos para encaminhar perguntas diretamente aos responsáveis pelo Semae. Esses questionamentos poderão respondidos individualmente ou em bloco.

Beto Silva