Vereadores pedem inclusão de Piracicaba em trem intercidades

Ferrovia: Estação da paulista foi um dos locais mais movimentados da cidade. (Foto: Arquivo/JP) Ferrovia: Estação da paulista foi um dos locais mais movimentados da cidade. (Foto: Arquivo/JP)

Uma moção assinada pelos 23 vereadores apela ao governador do Estado de São Paulo, João Dória (PSDB), e ao secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, a inclusão de Piracicaba na rota do “Trem Intercidades”, projeto que tem por objetivo reativar no Estado o transporte de carga e de passageiros sobre trilhos, aproveitando parte da malha ferroviária já existente.

A propositura foi aprovada na última segunda-feira durante a 3ª reunião ordinária do ano. O documento lembra que, desde 2013, ainda na gestão Geraldo Alckmin (PSDB), o governo paulista tem buscado alternativas para viabilizar a implantação do projeto, já inserido nos estudos do Plano Diretor, esperando contar com aportes do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e do Banco Mundial.

“Apelamos para que o município de Piracicaba seja inserido nesse projeto, visto que possui as condições adequadas e grande demanda para esse serviço. É uma das economias mais fortes do interior paulista, com excelente desempenho dos setores industrial, comercial e de serviços, sendo referência de desenvolvimento no Estado de São Paulo”, traz o texto da moção que leva a autoria dos 23 vereadores piracicabanos.

A moção de apelo cita a cidade como “importante polo regional de desenvolvimento, com a atividade econômica caracterizada pela presença de indústrias, empresas de biotecnologia, cultivo de cana de açúcar e produção de biocombustível”. “Piracicaba cresce e se moderniza, agregando valores cujos efeitos têm se multiplicado e alcançado os setores da economia local, regional e nacional, com a presença de empresas e indústrias de natureza tecnológica de ponta.”

O texto reforça ainda a importância de Piracicaba ser incluída no projeto ao recuperar o legado ferroviário da cidade de 1873 a 1980, quando foi encerrada a circulação de trens de carga, e exaltar os bens que produz na agricultura, na pecuária, na indústria, no comércio e nos serviços. Também destaca o município como centro de produção e inovação tecnológica e cita as universidades e faculdades instaladas.

PROJETO

A partir do lançamento, previsto para este mês, do cronograma oficial de ações, o Estado deve buscar recursos em fundos internacionais para viabilizar o projeto, que tem definido o eixo São Paulo–Campinas–Americana como o primeiro a ser implantado. Outras linhas, como as que seguem para São José dos Campos e Taubaté e para Sorocaba, devem vir num segundo momento.