Vigiar e Punir é encenado no Sesi

A Companhia Caravan Maschera, de Atibaia (SP), traz ao Sesi Piracicaba, pela primeira vez, o espetáculo “Vigiar e Punir: um soldado beijava a boca de Foucault na escada da escola”. A
apresentação é neste sábado (8), às 20h, no teatro do Sesi Piracicaba e tem o apoio do ProAC. Os ingressos são gratuitos. Classificação indicativa 16 anos. A montagem, baseada na obra do filósofo francês Michel Foucault (1926-1984), mostra como os conceitos de punição e vigilância evoluíram na sociedade contemporânea. Com bonecos inspirados em quadros de Goya e Bosch e interpretação com linguagem de bufão, a peça busca desvelar os conceitos de uma sociedade “disciplinar e normopática”.

Sem cair no didatismo ou na retórica bruta, o espetáculo utiliza humor sarcástico, poesia visual e formas animadas para tocar o público de maneira mais sensitiva e emotiva.

“O que queremos com essa adaptação de Foucault é mostrar como as instituições disciplinantes que nos cercam – a escola, a prisão, a medicina, a religião, o trabalho e a própria família – agem sobre nós para nos tornarmos seres ‘mansos’. O público pode, a partir de suas próprias reflexões e leituras subjetivas, buscar vias que minimizem o risco de uma dominação dos nossos desejos
e opiniões”, afirma Leonardo Garcia Gonçalves, que junto com Giorgia Goldoni, estrela e assina a direção do espetáculo.

Nesse sentido, a peça é uma forma de resistência aos princípios de normalização e adestramento do indivíduo nos dias de hoje, já que demonstra como a ideia de “norma” e “normal” foram criadas
artificialmente para controlar a sociedade. “Apesar de obscura e pessimista, ela permite algum espaço para o otimismo, na medida em que ilustra como a reflexão de Michel Foucault pode nos ajudar a enxergar como somos condicionados a sermos corpos dóceis e obedientes”, avalia Giorgia Goldoni.

O livro “Vigiar e Punir”, publicado originalmente em 1975, trata do sistema prisional. Analisa as técnicas de disciplina e vigilância nos tempos modernos comparadas às punições de eras mais remotas. É importante destacar que a peça não segue fielmente a obra do filósofo francês, mas a desconstrói como base para seu  enredo e crítica.

SERVIÇO
Vigar e Punir, sábado (8), às 20h. Classificação: 16 anos. Informações: (19)3403-5900 / 3403-5940 Entrada gratuita. Reservas de ingressos pelo site www.sesisp.org.br/meu-sesi.

Da Readação