Vitoria Maldonado lança álbum com o baixista Ron Carter

Vitoria Maldonado está ao lado de Ron Carter na capa do disco. A brasileira pianista com dois álbuns lançados (Vitoria, de 1994, e O que está acontecendo comigo, de 2011) vive um momento de auge. Além de estar com um dos maiores baixistas do mundo, seu álbum de nome Brasil L.I.K.E. (Love, Inspiration, Knowledge, Energy) tem uma constelação para rearranjar, em sua maioria, temas de standards do jazz norte-americano. Ao lado deles aparecem Adoro o Teu Sorriso (da própria Maldonado), Lugar Comum (de João Donato e Gilberto Gil) e Saudade (Maldonado e Ron Carter).

O maestro Ruriá Duprat, sobrinho do tropicalista Rogério Duprat, assina a produção artística e conduz a orquestra. O saxofonista Proveta toca em They Can’t Take That Away From Me; Roberto Menescal, violonista, aparece em There Will Never Be Another You, Que Reste-t-Il de Nos Amours e All Of Me; e o trompetista Randy Brecker está em Night and Day.

A mãe de Maldonado tocava piano clássico e o pai gostava de cantar. Ela acabou estudando piano na adolescência com Marina Brandão, com Amilson Godoy e com Gogô (Hilton Valente). Fez ainda composição com Oswaldo Lacerda, antes de seguir para Berklee (EUA), onde se formou em composição e regência. Ao retornar ao Brasil, no final dos 1980, passou uma temporada no Rio de Janeiro e chegou a formar uma dupla com a cantora Marisa Monte, que já fazia apresentações pela noite.

Sobre a costura do disco, ela conta que conheceu Ron Carter em sua casa, na véspera da gravação. Antes disso, eles haviam se falado por telefone: “Eu estava em Nova York, de férias, quando recebi um telefonema do pianista Michel Freidenson me contando que o Ron Carter e seu quarteto estavam em turnê pelo Brasil e que ele estava procurando algum artista brasileiro para fazer um novo álbum. Eu já estava planejando gravar um disco com meus standards americanos prediletos unindo o jazz à bossa nova com um repertório que eu já estava me apresentando em jazz clubs de São Paulo. Isso chegou aos ouvidos do Ron e ele me convidou a gravar com ele e o quarteto. Me senti muito lisonjeada. Ron é uma lenda viva do jazz, com um vivência musical gigantesca e com quem eu aprendi muita coisa.”

Um vídeo de divulgação do projeto de Maldonado a mostra em estúdio, durante a gravação do disco. Em um momento, ela pede a Ron Carter para incluírem Georgia On My Mind. Ele aponta para Renee Rosnes, a pianista, e diz que aceita se ela também aceitar. Maldonado vai até o piano de Renee e mostra como quer a música. Sobre o clima das gravações, Maldonado fala: “O Ron é um músico excepcional, apaixonado pelo que faz, e com uma grande disposição para fazer coisas novas. Aliás, foi daí que veio o nome do disco L. I. K. E. (Love, Inspiration, Knowledge, Energy). Depois de passar o dia inteiro gravando, ainda teve energia para mais uma música que eu não havia planejado, mas que senti que soaria muito bem com o quarteto. E foi assim, com apenas alguns acordes que eu havia rabiscado, que gravamos Georgia on My Mind”.

Se o seu disco é estrategicamente pensando para um público fora do Brasil? “Acredito que esse repertório seja internacional e atemporal. São clássicos da música americana e brasileira. Mas pensando no mercado brasileiro, gravei todas as faixas em inglês e português. As que estão em inglês foram versionadas por Carlos Rennó e estão prontas. Só não lancei ainda porque não consegui liberação das editoras americanas.”

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.