Você é feliz?

A infelicidade é a maior causadora dos principais transtornos mentais e o agravante é que, além dos infelizes, existem também os que não estão se dando conta que buscam a felicidade no lugar e do jeito errado e nosso mundo atual está “PHD” em oferecer autoengano. Entretanto, em qualquer um desses casos, ninguém escapa, pois, em um dado momento a cobrança chega, normalmente quando fica mais difícil uma reversão.

Vemos uma humanidade cada dia mais perdida em meio a opções e obrigações para ser feliz, mas nem todos estão preparados para vivenciar a felicidade, principalmente porque não a compreendem. As demandas superam as estruturas e o corpo pede socorro, como disse Freud: “Tudo o que a mente não resolve, o corpo transforma em doença”.

Felicidade deveria ser o foco principal de qualquer ser humano. O item prioritário, número um, mas não é isso o que temos visto e as estatísticas garantem a veracidade dessa conclusão.

E este terrível autoengano continua fazendo seus “estragos”. O mundo corporativo, por exemplo, é um reflexo da infelicidade de muita gente. Mas repare: empresas de sucesso e, portanto, felizes, não aceitam líderes e colaboradores que não trabalhem no regime da confiança e da motivação, pilares da Inteligência Emocional. Isto porque a desconfiança gera o medo que distancia as pessoas e, este cenário, aliado à falta de motivação, derruba qualquer chance de resultado e de sucesso. A meta, portanto, é apenas uma “consequência” que empresas de sucesso “apenas” atingem. Líderes fazem equipes felizes, chefes não.

Você é a média das cinco pessoas que convive. Quer continuar nessa média? Está tudo bem na sua vida? Realizado profissionalmente e pessoalmente? Completamente feliz? Mas, você sabe realmente o que é ser feliz?
O que você tem investido efetivamente na sua saúde mental, na sua felicidade?
Ou acha que isso é desnecessário, como infelizmente muita gente (ainda) pensa?
De nada vale qualquer tipo de investimento, inclusive na saúde física, se a prioridade não for a saúde mental. Aos poucos, os sábios estão descobrindo isso. “Nascemos originais e morremos cópias”. Isso resume a catástrofe emocional do mundo moderno.
Precisamos aprender a desobedecer, com inteligência, essa famosa frase de Jung.

Como suas escolhas tem sido feitas? Saiba que toda escolha é feita com base em apenas duas motivações: pressão ou liberdade. O agravante é que, infelizmente, muita gente acha que toma decisões com liberdade e tem até uma sensação de prazer ou realização, mas na verdade, por não se conhecerem ou estarem fora de rota com sua essência, produzem, dia a dia, sucessivos “desacordos” internos, verdadeiras bolas de neve em expansão. Externamente se escondem vestindo ilusão, mas, internamente, vão corroendo a pessoa, aos poucos. Os resultados estamos assistindo… estarrecidos. 

Quem acessa o propósito de vida, acessa a felicidade, que na verdade, está proporcionalmente ligada a este processo de evolução pois, quanto mais evoluímos, mais felizes seremos. 
Se você não está em sintonia com esse processo, é hora de rever sua trajetória nesta existência, afinal, “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.” (Albert Einstein)