XV de Piracicaba vence o Guarani e encosta no G-4

O XV de Piracicaba conseguiu uma vitória de extrema importância nesta quarta-feira (14), em Campinas, ao derrotar o Guarani por 1×0 no estádio Brinco de Ouro da Princesa. O jogo foi válido pela sétima rodada da Série A2 do Campeonato Paulista. O gol isolado de Jobinho colocou o Alvinegro em oitavo lugar com 11 pontos, um a menos que o Bugre, que abre o G-4. O Nhô Quim volta a campo no próximo sábado (17), quando recebe o Penapolense, às 17h, no estádio Barão da Serra Negra.
 
 
Ao escalar o XV, o técnico Evaristo Piza contrariou o que ele próprio havia dito em entrevistas anteriores: Guly e Bruno Formigoni foram escalados juntos no meio de campo, que ainda teve Fraga como volante com mais liberdade. Recuperado de lesão, Fabinho voltou ao ataque ao lado de Jobinho e Everton. Na defesa, o zagueiro Marcondes foi o escolhido para substituir Vinicius Simon, baixa por lesão. O nome do primeiro tempo, entretanto, estava debaixo do gol: Samuel Pires.
 
 
O goleiro evitou o gol do Guarani pelo menos três vezes antes do intervalo. Aos 3min, Rondinelly encontrou Bruno Mendes na entrada da área e o atacante chutou cruzado para defesa do camisa 1. Na sequência, o Bugre tramou lance parecido: Rondinelly puxou contra-ataque e cruzou para Bruno Mendes. Desta vez, o camisa 9 do Guarani ajeitou o corpo e tentou a bicicleta, mas o goleiro estava bem colocado e evitou o gol.
 
 
O time de Campinas ditava o ritmo da partida, enquanto o XV voltava a apresentar o que havia mostrado nas seis rodadas anteriores: falta de criatividade no meio de campo. A abertura do placar, porém, não aconteceu na etapa inicial. Aos 39min, o Guarani quase marcou em cobrança de falta aproveitada pelo volante Ricardinho, que cabeceou e viu a bola tocar o travessão. “Precisamos ficar mais com a bola”, pediu Formigoni na saída para os vestiários.
 
 
Na volta para o segundo tempo, o Alvinegro surpreendeu. Antes do relógio completar o primeiro minuto, Pedrinho cruzou da esquerda e encontrou Jobinho livre para estufar a rede e abrir o marcador: 1×0. O bom reinício levou o XV ao segundo gol aos 4min, novamente com Jobinho, mas a arbitragem anulou o tento ao assinalar impedimento do atacante. Após dez minutos de domínio alvinegro, o Bugre retomou o controle das ações e voltou a pressionar em busca do empate, mesmo sem organização.
 
 
 
PRESSÃO
 
Piza colocou Norton no lugar de Fabinho para segurar mais a bola, mas a equipe seguiu sufocada. Depois, o treinador sacou Formigoni para a entrada de André Cunha e, por último, apostou na velocidade de Bruninho para substituir o cansado Jobinho. Aos 29min, o Nhô Quim conseguiu contra-atacar pela primeira vez e quase aumentou a diferença com Everton, que aproveitou o chutão de Jean Pablo, passou pela marcação de Lombardi e exigiu boa defesa de Bruno Brígido. Apesar da pressão, o XV conseguiu segurar a vantagem e manteve a invencibilidade fora de casa na Série A2.