XV e Guarani empatam sem gols em Piracicaba

XV de Piracicaba e Guarani empataram sem gols neste sábado (31), no Barão da Serra Negra, pelo duelo de ida das semifinais do Campeonato Paulista da Série A2. A equipe piracicabana controlou a posse de bola e foi melhor que o rival, principalmente no primeiro tempo. Na etapa complementar, as melhores chances foram do time campineiro. As duas equipes voltam a se encontrar na próxima quarta-feira (4), às 20h30, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas. Quem vencer avança para a final e garante vaga na Série A1, em 2019. O empate, independente do placar, leva a decisão para os pênaltis.

Após fazer mistério ao longo da semana, o técnico Evaristo Piza surpreendeu na escalação do XV de Piracicaba. No lugar de André Cunha, que está lesionado, o treinador apostou em Jobinho, o que deixou clara a intenção de atacar o Guarani. O início de jogo do XV foi em ritmo alucinante. Aos 4min, o camisa 9 teve a chance de abrir o placar. Bruninho escapou pela esquerda e encontrou Jobinho livre de marcação na área, mas o atacante errou o domínio e deixou a bola passar.

Aos 13min, o Alvinegro voltou a ameaçar. Em rápido contra-ataque puxado por Oziel, Bruninho passou pelo goleiro Bruno Brígido e bateu para o gol, mas o lateral-direito Lenon salvou o Bugre em cima da linha. O Guarani suportou a pressão inicial e chegou pela primeira e única vez antes do intervalo aos 28min, em cobrança de escanteio. Rondinelly achou o zagueiro Lombardi sozinho, mas Samuel Pires estava bem colocado e conseguiu espalmar para escanteio.

O Alvinegro voltou ligado para a segunda etapa. A aplicação tática da equipe de Evaristo Piza sufocava o Bugre. Fechado, o Guarani chegava ao ataque apenas com a bola parada. Apesar de o XV controlar a posse, a primeira ocasião foi para o time de Campinas. Aos 21min, Rondinelly cobrou falta para a área e a bola sobrou limpa para Erik. O meia girou sobre a marcação de Oziel e finalizou cruzado, mas Samuel Pires defendeu. Aos 28min. o Guarani criou perigo mais uma vez. Bruno Mendes lançou Erik por cobertura, mas a conclusão saiu pelo alto.

Preocupado com o crescimento do adversário, Piza colocou Léo Carvalho no lugar de Jobinho, e trocou Fabinho por Maikon Aquino. O Bugre, porém, seguia gostando do jogo. Aos 42min, Denner, que havia acabado de entrar no lugar de Rondinelly, teve a melhor oportunidade da noite: o camisa 15 deixou a marcação na saudade e carimbou o travessão de Samuel Pires. Evaristo Piza ainda fez a última substituição com Norton na vaga do volante Gilson, mas o zero não sairia do placar no Barão da Serra Negra.