10º Baep mantém rotina intensa de qualificação

Com livre atuação nos 52 municípios que fazem parte do CPI-9 (Comando de Policiamento do Interior), o 10º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) tem mantido uma rotina intensa de treinamentos, com equipes mais qualificadas da instituição para atuações em ocorrências consideradas complexas envolvendo o crime organizado e confronto com criminosos.

Criado em Piracicaba, em dezembro de 2019, cerca de 200 policiais militares receberam treinamentos dos Batalhões de Polícia de Choque de São Paulo, capacitando o efetivo da nova unidade para o patrulhamento tático com a Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), ocorrências em área de mata com o COE (Comandos e Operações Especiais), policiamento em eventos e controle de multidões com os 2º e 3º Batalhões de Choque e ocorrências com explosivos e reféns com o Gate (Grupo de ações táticas especiais).

O comandante do 10º Baep, tenente-coronel Fernando Aparecido de Souza destaca que sua tropa é leal, dedicada, comprometida e altamente capacitada tecnicamente. “Desde a seleção dos integrantes do futuro batalhão até o posicionamento deles em cada pelotão nos dias de hoje ocorreu conforme matriz de competências”, enfatizou.

O policial que se apresenta para servir no 10º Baep deve possuir três anos de atividade operacional e é submetido a um intenso estágio probatório de 90 dias com foco na melhoria do condicionamento físico, apreensão de conhecimento técnico específico para a atuação de Baep, controle da estabilidade emocional e aumento da resiliência ou capacidade psicológica de resistência a frustrações. De acordo com o Setor de Comunicações do Batalhão, diariamente o Pelotão, que é a fração mínima de efetivo necessário para que o 10º Baep saia às ruas é comandado por no mínimo um tenente da PM, que realiza atividades físicas com foco nas avaliações periódicas que ocorrem para acompanhamento do desempenho físico de cada um.

O efetivo também atua em conjunto com as Polícia Militar, Civil, Federal, Guardas Municipais, Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público.

Mesmo diante do cenário de pandemia, os policiais têm mantido os treinamentos com os cuidados necessários. Entre eles estão as habilitações em novos equipamentos como as novas armas de incapacitação neuromuscular, novas espingardas italianas semi automáticas “Benelli M4” e novos fuzis adquiridos pela PM.

Cristiani Azanha
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

um × 2 =