economia
Beltrame afirma que notícia vem em boa hora. (Foto: Arquivo / JP)

O Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista) de Piracicaba estima que o pagamento da primeira parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas da cidade deve injetar aproximadamente R$ 58,5 milhões na economia local entre agosto e setembro. A estimativa foi feita a partir dos dados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). De acordo com o órgão federal, a primeira parcela corresponderá a 50% do valor do benefício e será paga com os valores referentes a agosto. O restante será pago em novembro. Serão cerca de 73 mil beneficiados na cidade.

Para o secretário executivo do Sincomércio, Carlos Beltrame, a injeção desses recursos vem depois de um período de crise econômica agravado com a greve dos caminhoneiros em maio. “Essa notícia vem em boa hora, após a greve dos caminhoneiros houve uma queda significativa nas vendas do comércio e, hoje, qualquer dinheiro injetado na economia tem grande importância, principalmente para o comércio”, comentou.

Para o Sincomércio, o empresário deve aproveitar esse momento para ajustar o seu estoque através de promoções e liquidações e para aqueles com problemas no fluxo de caixa, a dica é facilitar o pagamento à vista, oferecendo descontos.

A entidade sindical aconselha os aposentados e pensionistas a fazer uma avaliação criteriosa do orçamento doméstico atentando-se para o nível de comprometimento da renda com o pagamento de dívidas (que deve ser de no máximo 30%) e se a pessoa já está inadimplente ou altamente endividada, o 13º salário deve ser destinado ao pagamento de débitos.
As dívidas do cheque especial e do rotativo do cartão de crédito devem ser priorizadas já que essas modalidades de crédito cobram as maiores taxas de juros do mercado. Para outros tipos de dívidas, o consumidor pode aproveitar e negociar sua quitação à vista e, desta forma, obter descontos. Para as famílias que não possuem débitos que comprometam mais de 30% da renda familiar, a melhor alternativa para o salário adicional é poupar.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, Beltrame destaca que, em 2017, a primeira parcela do 13º salário foi usada para quitar dívidas e o beneficiário aproveitou para sair da inadimplência. Já neste ano, o secretário acredita que grande parte dos recursos será injetada no comércio. Segundo ele, mesmo usado para o pagamento de dívidas o comércio não deixa de ser beneficiado, seja pela quitação dos débitos em atraso ou na liberação para novos créditos.

(Beto Silva)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

7 − sete =