1ª audiência do caso Carolina Dini Jorge está marcada para 08 de agosto

Foto: Facebook

A primeira audiência referente ao caso Carolina Dini Jorge está marcada para acontecer às 14h45 do dia 08 de agosto, no Fórum de Piracicaba (SP). As informações foram confirmadas ao JP por Jussara Moretti, advogada da família de Carolina.

O processo do júri é bifásico, ou seja, montado em duas etapas. Nesta primeira fase em que o caso está, o juiz analisa a formação da culpa. Posteriormente, são analisadas as provas de que Anderson praticou o feminicídio dolosamente. “Assim é proferida a decisão chamada sentença de pronúncia, que remete o julgamento para o Júri Popular”, informa a advogada. “O que esperamos é que Anderson seja pronunciado e levado a julgamento por Júri Popular, quando então será condenado. As provas colhidas nos autos do processo não deixam qualquer dúvida sobre a autoria, dolo e premeditação.”

Para a advogada, Anderson dos Santos Andrade planejou o crime e armou uma emboscada para Carolina, tirando sua vida. O crime ocorreu no dia 24 de março, no bairro São Dimas, em Piracicaba. Carolina Dini Jorge tinha 41 anos e foi morta a facadas ao sair para buscar a filha na Escola Estadual Honorato Faustino.

A GCM (Guarda Civil Municipal) foi acionada, posto que algumas pessoas haviam visto um suspeito armado com uma faca no perímetro escolar. Assim que os guardas Luciane e Tancredo foram até o local, avistaram o Chevrolet Prisma estacionado na altura do numeral 750 da rua Ajudante Albano. A porta dianteira do lado do passageiro estava aberta e Carolina estava deitada de barriga para baixo, nos bancos da frente, ensanguentada e com marcas de cortes nas costas. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e compareceu no local, contudo Carolina não resistiu aos ferimentos e faleceu ainda no local.

“Não tenho contato nenhum com Anderson ou com a família dele, meu trabalho é exclusivamente para a defesa dos filhos da Carolina”, comentou a advogada. “O que sei é que ele contratou um advogado particular.”

Anderson, de 39 anos, foi transferido várias vezes. Ele passou por Piracicaba, Guareí, Pinheiros e agora está preso em Guarulhos. Quando questionada sobre o comportamento de Anderson, a advogada é enfática. “Ele tem personalidade voltada para o crime. Já agrediu Carolina e os filhos, foi expulso de duas academias e chegou até a agredir um patrão. É uma pessoa perigosa que merece ser mantido no cárcere”, finaliza.

Rafael Fioravanti | [email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

14 − 8 =