Os benefícios são progressivos e os primeiros | Foto: Amanda Vieira

A nicotina presente no cigarro gera uma falsa sensação de bem-estar e, com isso, coloca o indivíduo em risco de diversos problemas de saúde, pois, ao mesmo tempo que libera dopamina no nosso cérebro, também causa inflamações e impacta diretamente nosso sistema cardíaco. A boa notícia é que, ao parar com o vício, vários benefícios para a saúde são sentidos já em curto e médio prazo.

Após 20 minutos do último trago, os resultados positivos já começam, conforme explica a cardiologista Juliana Previtalli, idealizadora da campanha “Paradas Pro Sucesso”, junto ao músico Luís Fernando Dutra. A ação, com apoio do JP, reúne artistas da cidade e região para convidar as pessoas a repensarem esse vício e, principalmente, buscar ajuda para superá-lo.

Os benefícios são progressivos e os primeiros, após 20 minutos, são a redução dos batimentos cardíacos e da pressão arterial. Após dois dias, o gosto e cheiro das refeições são melhores sentidos. De duas a 12 semanas, a circulação sanguínea melhora e a função pulmonar aumenta. Entre um a nove meses, a tosse e a falta de ar diminuem.

“Uma pessoa que fuma um maço de cigarro por dia tem quatro vezes mais chance de ter infarto agudo do miocárdio do que uma pessoa que não fuma. Uma pessoa que fuma dois maços por dia, tem 9 vezes mais chances. Ele será reduzido pela metade depois de um ano”, explica a médica.

Mesmo se a pessoa já desenvolveu algum problema, como ataque cardíaco, reduz em 50% as chances de um novo. “Se o indivíduo para de fumar após o início de uma doença grave com risco de morte o benefício é rápido”, comenta.

O SUS fornece o Programa Anti Tabagismo. Para participar, basta perguntar por ele na UBS mais próxima.

Andressa Mota

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro × 3 =