Dos que testaram positivo nas instituições, 53 morreram pela doença (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Mais vulneráveis à covid-19, os idosos requerem cuidados especiais durante a pandemia. Desde março, as ILPI (Instituições de Longa Permanência de Idosos) na cidade lutam para driblar o novo coronavírus e não perder mais vidas. De acordo com dados divulgados ontem (11) pela SMS (Secretaria Municipal de Saúde), 53 idosos que moravam nessas instituições morreram pela doença. A pasta informou ainda que, dos 899 idosos das 27 ILPI cadastradas na cidade, 189 testaram positivo, o que representa 21% dessa população.

A SMS trabalha em parceria com as instituições e com o Conselho Municipal dos Idosos para conter a infecção nesses lares. De acordo com representantes ouvidos pela reportagem, as infecções estão sob controle nos três lares com os maiores números de óbitos: Lar dos Velhinhos (31), Lar Betel (12) e Bem Viver (6).

Os demais óbitos ocorreram no Convívio Mundo Melhor (2), na Terça da Serra (1) e Gran Giardini (1).

“Essas unidades são autônomas e a maioria, de cunho privado. Por isso, coube aos profissionais da Secretaria dar suporte técnico, com enfermeiros e técnicos, para vacinação contra a gripe, realizar testagem rápida e PCR para diagnóstico da covid-19, definir critérios de isolamento, observação e alta, a fim de que as próprias entidades dessem sequência ao trabalho proposto”, disse a secretaria em nota.

Segundo a pasta, cerca de 630 funcionários trabalham nas 27 ILPI e, desses, 104 testaram positivo para a covid-19.

De acordo com Silvio Rodrigues Alves, presidente do conselho administrativo do Lar dos Velhinhos, nenhum idoso da instituição está internado por conta da covid-19, apenas um apresenta sintomas, faz o isolamento na entidade e será testado. Desde o início da pandemia, 79 idosos do Lar testaram positivo e 17 aguardam resultado. “Penso que agora a situação está um pouco mais confortável”, diz.

No Lar dos Velhinhos, as visitas continuam proibidas. Todos que entram na instituição precisam passar por processo de higienização da roupa, mãos e calçadas, além de usar máscara.

Esses procedimentos também são tomados no Lar Betel, onde, de acordo com Luiz Adalberto dos Santos, diretor, todos os idosos e funcionários fizeram teste para covid-19, sendo que 61 idosos testaram positivo e 21, negativo. Uma estratégia do Lar foi isolar os negativados por 90 dias (de 6 de maio a 6 de agosto). Santos informou que o Lar não apresenta caso suspeito e testa regularmente os idosos negativados e os funcionários. As visitas também estão restritas, com hora marcada, ambiente reservado e com distanciamento social.

Segundo Sara Jaqueline Soares, administradora do Bem Viver, todos os internos da instituição estão negativados. “[Continuamos com os cuidados], todos com EPIs, a casa está sendo sanitizada a cada 15 dias”, informou.

Andressa Mota

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

13 − 6 =